Pesquisar este blog

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Civilização de papel

Me espanta, e me assusta, a fragilidade da civilização que construímos.

Basicamente nossa civilização é composta de grandes aglomerados urbanos, com milhares ou milhões de habitantes. Tais aglomerados urbanos demandam centenas de milhares de toneladas diárias de alimentos. Inclusive para alimentar nossos cães, gatos e peixes de aquário...

Um ou dois dias sem suprimento de alimentos, e a civilização urbana que criamos implode. O retorno à barbárie é imediato.

Mesmo assim, nós das cidades sabemos tudo e temos opinião sobre tudo. Por exemplo, nós da cidade defendemos que terras produtivas sejam transformadas em reservas florestais, reservas indígenas, ou simplesmente distribuídas ao MST.

Índios

Me contaram de uma notícia sobre um caminhão de madeira que tombou na região de Cascavel, no Paraná, e teve a carga saqueada pelos índios que vivem na região. A suspeita, segundo a notícia, é que os índios estariam provocando o tombamento de caminhões na região, para roubar as cargaas.

Vai dar em alguma coisa? Em nada, os índios são inimputáveis, portanto possuem licença para tombar caminhões.

E até para ir além, lembram do então famoso cacique Paulinho Paiacã, que estuprava mulheres não índias?

A história

Reinaldo Azevedo tem dito que Lewandovski e Toffoli, ao atuarem como verdadeiros advogados petistas, estão demonstrando falta de preocupação em relação à forma como a história irá julgá-los.

Eu penso diferente. Todos sabem que a história é escrita pela esquerda. Os "nossos" da esquerda são sempre retratados como heróis. Por exemplo, terroristas que explodiam bombas, roubavam e matavam com o propósito de implantar uma ditadura comunista no Brasil são retratados pela história como heróis que lutavam pela liberdade.

Assim, creio que a história irá retratar Lewandovski e Toffoli como os maiores ministros da história do STF, e os demais como viúvas de Hitler.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Do Olavo de Carvalho

"A mitologia infantil que a população consome sob o nome de "jornalismo" ensina que o Leitmotiv da história mundial desde o começo do século 20 foi o conflito entre "socialismo" e "capitalismo"; conflito que teria chegado a um desenlace em 1990 com a queda da URSS.

Desde então, reza a lenda, vivemos no "império do livre mercado" sob a hegemonia de um "poder unipolar" – a maldita civilização judaico-cristã personificada na aliança Estados Unidos-Israel, contra a qual se levantam todos os amantes da liberdade: Vladimir Putin, Fidel Castro, Hugo Chávez, Mahmud Ahmadinejad, a Fraternidade Muçulmana, o Partido dos Trabalhadores, a Marcha das Vadias e o Grupo Gay da Bahia.

A dose de burrice necessária para acreditar nessa coisa não é mensurável por nenhum padrão humano. No entanto, não conheço um só jornal, noticiário de televisão ou curso universitário, no Brasil, que transmita ao seu público alguma versão diferente dessa.

A história da carochinha tornou-se obrigatória não somente como expressão da verdade dos fatos, mas como medida de aferição da sanidade mental: contrariá-la é ser diagnosticado, no ato, como louco paranoico e "teórico da conspiração".

Como já me acostumei com esses rótulos e começo até a gostar deles, tomo a liberdade de passar ao leitor, em versão horrivelmente compacta, algumas informações básicas e arquiprovadas, mas, reconheço, difíceis de acomodar num cérebro preguiçoso.

A suprema elite capitalista do Ocidente – os Morgans, os Rockefellers, gente desse calibre – jamais moveu uma palha em favor do "capitalismo liberal". Ao contrário: tudo fez para promover três tipos de socialismo: o socialismo fabiano na Europa Ocidental e nos Estados Unidos, o socialismo marxista na URSS, na Europa Oriental e na China e o nacional-socialismo na Europa Central. Gastou, nisso, rios de dinheiro. E assim criou o parque industrial soviético, no tempo de Stálin, a indústria bélica do Führer e, mais recentemente, a potência econômico-militar da China.

Nos conflitos entre os três socialismos, o fabiano saiu sempre ganhando, porque é o único que tem a seu serviço a tecnologia mais avançada, uma estratégia flexível para todas as situações e, melhor ainda, todo o tempo do mundo (o símbolo do fabianismo é uma tartaruga).

O nazismo, cumprida sua missão de liquidar as potências europeias e dividir o mundo entre a elite ocidental e o movimento comunista (precisamente segundo o plano de Stálin), foi jogado na lata do lixo da História; do fim da 2ª Guerra até o término da década de 80, só subsistiu sob a forma evanescente de "neonazismo", um fantasma acionado pelos governos comunistas para assustar as criancinhas e desviar atenções.

O fabianismo nunca foi inimigo do socialismo marxista: ao contrário, adora-o e cultiva-o, porque a economia marxista, incapaz de progresso tecnológico, lhe garante mercados cativos. E também porque sempre considerou o comunismo um instrumento da sua estratégia global.

O s comunistas, é claro, respondem na mesma moeda, tentando usar o socialismo fabiano para os seus próprios fins e infiltrando-se em todos os partidos socialistas democráticos do Ocidente.

Os pontos de atrito inevitáveis são debitados na conta da "cobiça capitalista", fortalecendo a autoridade moral dos comunistas ante os idiotas do Teceiro Mundo e, ao mesmo tempo, ajudando os fabianos a apertar os controles estatais sobre as economias do Ocidente, estrangulando desse modo o capitalismo a pretexto de salvá-lo.

Os "verdadeiros crentes" do liberalismo econômico é que pagam o pato: sem poder suficiente para interferir nas grandes decisões mundiais, tornaram-se mera força auxiliar do socialismo fabiano e, em geral, nem mesmo o percebem, tão horrível é essa perspectiva para as suas almas sinceras.

Ás vezes, entretanto, a concorrência fraterna entre fabianos e comunistas desanda: com a queda da URSS, aqueles acharam que tinha chegado a hora de colher os lucros da sua longa colaboração com o comunismo, e caíram sobre a Rússia como abutres, comprando tudo a preço vil, inclusive as consciências dos velhos comunistas.

O núcleo da elite soviética, porém, a KGB, não consentiu em amoldar-se ao papel secundário que agora lhe era destinado na nova etapa da revolução mundial. Admitiu a derrota do comunismo, mas não a sua própria. Levantou a cabeça, reagiu e criou do nada uma nova estratégia independente, o eurasianismo, mais hostil a todo o Ocidente do que o comunismo jamais foi.

O fabianismo, que nunca foi de brigar com ninguém e sempre resolveu tudo na base da sedução e da acomodação (inclusive com Stálin e Mao), finalmente encontrou um oponente que não aceita negociar. A "Guerra Fria" foi, em grande parte, puro fingimento: a elite Ocidental concorria com o comunismo sem contudo nada fazer para destruí-lo. Ao contrário, ajudava-o substancialmente. Putin não é um concorrente: é um inimigo de verdade, cheio de rancor e sonhos de vingança.

A verdadeira "Guerra Fria" só agora está começando – e, aliás, já veio quente. A concorrência entre "capitalismo" e "socialismo" foi apenas um véu ideológico para uso das multidões, mas a luta entre Oriente e Ocidente é para valer.

Não por coincidência, o fiel da balança é o Oriente Médio, que fica a meio caminho entre os dois blocos. Ali as nações muçulmanas terão de decidir se continuam servindo de instrumento dócil nas mãos dos russos, se aceitam a acomodação com a elite fabiana ou se querem mesmo fazer do mundo um vasto Califado.

Já a elite ocidental, que fala pela boca do sr. Barack Hussein Obama, parece decidida a fazê-las pender nesta última direção, por motivos que, de tão malignos e imbecis, escapam ao meu desejo de compreendê-los.

Isso, caros leitores, é o que está acontecendo, e nada disso vocês lerão na Folha de São Paulo nem em O Globo."

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Discordo

O historiador Marco Antonio Villa escreveu o seguinte:

"Esse julgamento pode abrir uma nova era na jovem democracia brasileira, tão enfraquecida pelos sucessivos escândalos de corrupção. A punição exemplar dos mensaleiros serviria como um sinal de alerta de que a impunidade está com os dias contados".

Eu discordo da observação. Uma condenação exemplar serviria apenas para aumentar a certeza entre os petistas de que precisam colocar mais companheiros comprometidos com "a causa" no STF.

Mensalão ... outros tempos

O esquema do mensalão, ora em julgamento, é da época do PT acanhado. Sim, o partido sempre gostou da malandragem, e prova disso são todos os escândalos em prefeituras petistas antes da conquista do poder máximo.

Contudo, depois de décadas mentindo sobre ética na política, o PT chegou acanhado ao poder. "Quero meter a mão, mas como fazer?" era o dilema.

Então armaram toda a teia de transações conhecida por "mensalão". Para pagar meros 10 milhõeszinhos para o Duda Mendonça tiveram que usar estrutura bancária internacional.

Bons tempos aqueles.

De lá para cá o que mudou?

Bem, com a descoberta do esquema, sem nenhuma consequência eleitoral para Lula, o PT entendeu que pode tudo. E acabou o constrangimento inicial. Agora, por exemplo, um simples contrato da CEF com empresa fantasma movimenta R$1.2 bilhão, o que equivale a várias vezes os recursos do mensalão. E é só um contratinho entre centenas.

E não dá nada: nem CPI, nem escândalo na imprensa, muito menos processo no STF.

Que saudades do mensalão...

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Visões empresariais

Em nome da minha empresa ninguém tem autorização para mentir. Nem que o PT pague.

Os donos de jornais e TVs não pensam assim. Suas estruturas de reportagem são recheadas de jovens petistas travestidos de jornalistas, que usam a credibilidade dos veículos em que trabalham para mentir a serviço do partido. E os donos, de olho na verba publicitária estatal, fazem que não estão vendo nada...

Invenção em linha com os tempos modernos

Do domingo assisti num programa uma reportagem sobre um novo tipo de livro, lançado na Argentina, mas que ainda não chegou ao Brasil.

O repórter vibrava com o novo produto, e lamentava ele ainda não ter chego por aqui. Mas já previa o sucesso do produto em terras brasileiras.

Tratava-se de um modelo de livro cuja tinta se apaga em 60 dias e vira um bloco de anotações.

É uma invenção perfeitamente em linha com os tempos modernos, onde tudo é perecível e descartável. Por que o conhecimento não seria? Agora, com este novo modelo de livro, será.

Imaginem, senhores, se este modelo de livro tivésse sido criado 100 ou 200 anos atrás ...  as maiores bibliotecas do mundo teriam agora apenas blocos de anotações com páginas em branco. Mas eram outros tempos...

Licitações X governo petista

Acompanho alguns clientes na elaboração de seus processos para participação em licitações e sei bem o inferno que é. Documentos, certidões, informações contábeis, exigência de indicadores financeiros mínimos, etc. Já vi um cliente ter problema numa licitação da Petrobrás por uma diferença de R$0,10 (dez centavos) em seu balanço contábil.

Mas este inferno só vale para os comuns mortais, ou seja, todos nós.

Se o fornecedor estiver em algum esquema de corrupção do governo as portas estatais se abrirão. Por exemplo, fornecedores da Petrobrás descobriram alguns anos atrás que era muito mais eficiente presentear Silvio Pereira com um Land Rover do que percorrer todo o caminho das licitações.

Agora, como informa Claudio Humberto (post abaixo), a Caixa Federal celebrou um contrato de R$1.2 bilhão com uma empresa fundada em março, com capital social de R$500,00. Além disso, a contratação se deu com dispensa de licitação, e o objeto do contrato é incompreensível.

Alguém tem alguma dúvida sobre para onde irá o dinheiro deste contrato?

Tudo a céu aberto.

Houve um tempo, antes de 2003, em que havia ministério público no Brasil, e os procuadores costumavam se interessar por este tipo de coisa. Saudades...

A céu aberto

Do Claudio Humberto.

28/08/2012 | 00:00

Melhor esconder

Por sua assessoria, a Caixa Econômica Federal se negou a explicar o contrato de R$ 1 bilhão e 195 milhões com uma empresa criada em março último com capital de 500 reais, a MGHSPE Empreendimentos – que não tem site e cujo telefone parece fantasma: ninguém o atende.

Frase

"A civilização parece ser a invenção de uma espécie agora extinta."

 Nicolás Gómez Dávila

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Dinheiro sem dono

Se as informações da internet estiverem corretas, o governo já aceita pagar aos grevistas pelos dias parados.

Dinheiro público é dinheiro sem dono.

O único fator que poderia efetivamente levar o governo a endurecer a parada e não pagar pelos dias parados seria se os governantes concluíssem que ao não pagar os dias parados sobraria mais para ser roubado....

Do Luiz Felipe Pondé

"Imaginemos duas situações hipotéticas.

Hipótese 1: alguém convida você para um longo fim de semana na costa amalfitana na Itália. Executiva, hotel charmoso, longas caminhadas por ruas quietas e antigas, sem pressa, vinho (não "bom vinho" porque isso é papo de pobre querendo parecer rico, do tipo que os jovens chamam de "wannabe", gente que queria ser chique, mas não é).

Hipótese 2: alguém te convida para um fim de semana longo na Praia Grande, você pega oito horas de Imigrantes, trânsito infernal, o carro ferve, você fica na estrada esperando o socorro da Ecovias. Chega lá, apartamento apertado, cheiro de churrasco na laje por toda parte. Crianças dos outros gritando em seu ouvido.

Onde você acha que o amor verdadeiro nascerá? Se responder "hipótese 2", é mentiroso ou não sabe nada acerca dos seres humanos, vive num aquário vendo televisão e se olhando no espelho.

Antes de alguém dizer obviedades entediantes como "preconceito" (agora quando alguém fala para mim "preconceito", não levo mais essa pessoa a sério) ou "depende do contexto em que a pessoa nasce", esclareço: é fácil migrar da Praia Grande para a costa amalfitana, mas não o contrário. E quanto ao "preconceito": não se trata de preconceito, trata-se do tipo de verdade que todo mundo sabe, mas é duro reconhecer. Sim, o amor verdadeiro está à venda, e, enquanto você não entender isso, você permanecerá um idiota moral.

O reconhecimento desse fato torna você adulto, não torna você "melhor". E ser adulto é saber que o mundo não é um lugar "bom". Começando por você e eu."

domingo, 26 de agosto de 2012

Reflexões

“Porque a verdade é que alguns demônios andaram soltos neste país, enquanto a maioria desta nação estava entocada, apavorada, os chefes militares prontos a se deixarem dominar, contanto que continuassem a viver, viver de qualquer maneira, sem coragem de arriscar as carreiras.”


“Todos queriam viver, eis o problema. Eis o segredo do aparente sucesso dos demônios soltos no país. Minoria audaciosa, que sabia usar os meios de que dispunha, que eram os máximos, oriundos desta maldita forma de governo que é o presidencialismo.”

“E a continuação da forma de governo presidencialista apresenta uma tentativa de desvio da Revolução, porque, mais cedo ou mais tarde, o eleitorado, incapaz de fazer um milagre, tangido pela politica profissional, elegerá um presidente medíocre ou mau e o processo continuará até atingirmos de novo o clima político insuportável, que conduzira dialeticamente a outra revolução ou à continuação da que foi feita.”

Reflexões do General Olympio Mourão Filho, feitas no final dos anos 1960, mas bastante atuais.

sábado, 25 de agosto de 2012

Do Olavo de Carvalho

"Vocês já notaram que, de uns anos para cá, a simples opinião contrária ao casamento gay, ou à legalização do aborto, passou a ser condenada sob o rótulo de "extremismo", como se casamentos homossexuais ou abortos por encomenda não fossem novidades chocantes, revolucionárias, mas sim práticas consensuais milenares, firmemente ancoradas na História, na natureza humana e no senso comum, às quais realmente só um louco extremista poderia se opor?

Já notaram que o exibicionismo sexual em praça pública, as ofensas brutais à fé religiosa, a invasão acintosa dos templos, passaram a ser aceitos como meios normais de protesto democrático por aquela mesma mídia e por aquelas mesmas autoridades constituídas que, diante da mais pacífica e serena citação da Bíblia, logo alertam contra o abuso "fundamentalista" da liberdade de opinião?

Em todos esses casos, e numa infinidade de outros, a estratégia é sempre a mesma: quebrar as cadeias normais de associação de ideias, inverter o senso das proporções, forçar a população a negar aquilo que seus olhos veem e a enxergar, em vez disso, aquilo que a elite iluminada manda enxergar.

Não, não se trata de persuasão. As crenças assim propagadas permanecem superficiais, saindo da boca para fora enquanto as impressões que as negam continuam entrando pelos olhos e ouvidos. O que se busca é o contrário da persuasão genuína: é instilar no público um estado de insegurança histérica, em que a contradição entre o que se percebe e o que se fala só pode ser aplacada mediante o expediente de falar cada vez mais alto, de gritar aquilo que, no fundo, não se crê nem se pode crer. É um efeito calculado, uma obra de tecnologia psicológica.

Algum militante gayzista pode sinceramente crer que, num país com cinquenta mil homicídios por ano, cento e poucos assassinatos de homossexuais provem a existência de uma epidemia de ódio anti-gay? É claro que não.

Justamente porque não pode crê-lo, tem de gritá-lo. Gritá-lo para não se dar conta da farsa existencial em que apostou sua vida, e da qual depende para conservar seus amigos, seu bem protegido lugar na militância, sua falsa identidade de perseguido e discriminado numa sociedade que não ousa dizer contra ele uma só palavra. "

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Burros

Malandros travestidos de juízes e advogados milionários estão atuando em conjunto para uma profunda transformação do judiciário, para a criação de um divisor entre "nós" e "eles", no qual a lei só seria aplicável a "eles" (nós), enquanto a "nós" (eles) tudo seria permitido.

Terminadas as seções de faz de conta, todos se reúnem em badaladas bocas livres noturnas para confraternizar, rir dos otários, e admirarem a sua própria esperteza. Nos seus cérebros de galinha pensam ser muito inteligentes, pois conseguiram ajudar a criar um ambiente que anula a possibilidade de qualquer punição para "nós" (eles). Já "eles" (nós) ficam cada vez mais sujeitos ao peso das leis e às operações midiáticas da Polícia Federal.

E por que são burros com cérebro de galinhas?

Porque as únicas garantias para os cidadãos são o estado de direito, vigência do império da lei, judiciário independente e igualdade de todos perante a lei. Já a criação de um sistema que funciona de maneira diferente para "nós" e "eles" só é bom para quem integra o grupo do "nós".

E nenhum dêles possui garantia de que integrará para sempre tal grupo. Basta, por exemplo, se indispor com algum cacique político para ser imediatamente transferido do "nós" para o "eles". Mesmo que aqueles que atuam pela destruição do judiciário tenham a felicidade de participação vitalícia no grupo do "nós", nada garante que seus filhos, seus netos, seus bisnetos integrarão tal grupo.

Em resumo, atuam para criar um ambiente onde todos são desiguais perante a Lei (dependendo do grupo ao qual pertence), e podem estar construindo situações que no futuro se voltarão contra seus próprios descendentes.

Se eu fosse um famoso, vaidoso e multimilionário advogado criminalista eu estaria muito mais preocupado em deixar para o futuro um estado de direito, para meus descendentes, do que faturar mais alguns trocos da máfia.

Filhos daqueles que ajudaram Stalin a implantar sua ditadura acabaram muitas vezes executados com bala na nuca.

Chilenos...


Vejam a notícia abaixo, sobre o Chile. É da coluna do Claudio Humberto.

O primeiro ponto a observar é a manchete: "Chilenos querem". Se o leitor seguir lendo, descobrirá que são os sindicalistas chilenos que querem. O jornalista Claudio Humberto deve estar tão acostumado com a realidade brasileira, onde sindicalistas mandam e desmandam, que já não consegue mais distinguir entre desejo sindical e desejo popular.

Como se vê na nota, os sindicalistas chilenos estão insatisfeitos com a constituição atual, feita no governo Pinochet, e querem uma nova, "democrática". A constituição atual permitiu que o Chile se transformasse na nação mais próspera da América do Sul, mesmo sendo periodicamente destruído por terremotos.

Mas não serve para os sindicalistas. Eles querem uma constituição "democrática", que permita transformar o país numa república sindical, como o Brasil, que mesmo sem terremoto não sai da pobreza.

"Chilenos querem nova Constituição

Cerca de 100 sindicatos do Chile marcaram para esta sexta-feira (24) um abraço simbólico ao redor do prédio do Parlamento, em Santiago. O ato tem como objetivo apoiar a campanha para alterar a Constituição do país. Os manifestantes esperam sensibilizar os políticos para a realização de uma consulta pública sobre a reforma constitucional, já que a atual foi feita pelo ditador Augusto Pinochet (1973-1990). "[Queremos] uma nova Constituição, verdadeiramente democrática", disse Esteban Maturana, um dos organizadores do protesto."

Farsa

Sairia mais barato para o país simplesmente incluir na constituição federal um artigo estabelecendo que petistas são inimputáveis. Não precisaríamos ter o ônus de manter ministros, advogados criminalistas (de onde saiu o dinheiro para seus honorários?), assessores, etc., custando fortunas ao longo de semanas para chegar a um resultado que todos já sabemos qual será.

De Jorge Peixoto Vasquez

"Não é de espantar, portanto, que a combinação do sistema democrático de representação com a existência de funcionários públicos leve inexoravelmente a um crescente aumento dos privilégios desse grupo.


Uma questão paradoxal que diz respeito à remuneração dos servidores públicos e aos incentivos que o sistema político acaba por criar: diferentemente do que ocorre na iniciativa privada, no setor público premia-se o fracasso com aumento de verbas e salários. Por exemplo, estamos em época de eleições e, segundo os recentes resultados do Ideb, sabemos que a educação avançou muito pouco e continua péssima. Mesmo assim, o que prometem os candidatos a prefeito? Aumentar salários de professores e funcionários. Em outras palavras, no governo, se os funcionários fizerem um péssimo trabalho, o mais provável é que eles venham a ser recompensados com aumentos. O resultado desse sistema é perverso e previsível: serviços públicos caros e de má qualidade.

Um último aspecto da questão da remuneração do funcionalismo público merece ser abordado. No livre mercado, duas forças determinam os salários: as leis de oferta e demanda e o valor do trabalho realizado. Ninguém em sã consciência bate à porta do chefe para pedir um aumento que tornará seu custo para empresa maior do que o incremento de receita causado por sua atividade, pois nenhuma empresa pode operar no prejuízo indeterminadamente sem falir. Assim, existe uma barreira para o salário de qualquer funcionário privado, que é o valor agregado pelos serviços que presta. Mesmo um movimento de cartelização, como a formação de sindicatos com objetivos de negociação coletiva, não pode mudar essa lei econômica, pode apenas agir sobre a oferta e a demanda. Ora, a negociação de salários de funcionários públicos é descolada de ambas as forças e, por isso, é mais ou menos como jogar pôquer apostando grãos de feijão sem valor algum. Totalmente irracional.

Primeiro, não há como determinar valor agregado ao governo, já que ele não objetiva o lucro. Isso vale para qualquer entidade sem fins lucrativos, como condomínios. Mas, diferentemente de entidades privadas, o governo não tem como comparar no mercado os salários pagos a seus funcionários, afinal, ele mesmo se outorga monopólios em praticamente todas as áreas em que atua. Segundo, as leis de oferta e demanda simplesmente não funcionam quando é impossível demitir ou reduzir salários, sendo as contratações vitalícias.

Inescapavelmente se conclui que, com as leis que temos, e das quais não nos podemos livrar, dados os incentivos do sistema democrático, cada vez mais os servidores públicos serão uma casta de privilegiados a consumir o dinheiro subtraído à força dos demais cidadãos. A única saída para salvar parte de nosso suado dinheiro é diminuir significativamente o quadro de servidores, transferindo para a iniciativa privada, ainda que via terceirizações, boa parte das atividades hoje executadas diretamente pelo Estado."



quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Lewandovski

Durante as eleições de 2010 Lewandovski era o presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Nesta condição comparecia como convidado a alguns eventos onde o presidente da república (Lula) também estava presente.

Fotografias de eventos mostram que Lewandovski (o presidente do TSE) gargalhava enquanto Lula cometia crimes eleitorais.

Alguém imaginaria que um juíz com este passado votaria pela condenação de estrelas petistas no mensalão?

Artistas...

Se o bebê nasce com "vende-se" escrito na testa, o médico já pode profetizar - será artista.

Como já escrevi várias vezes, artista está sempre pronto para vender o seu sorriso para quem pagar melhor, inclusive governantes.

Faz poucas semanas que a ANATEL divulgou que a TIM derruba de propósito as ligações dos seus planos de fale ilimitado, para que os usuários tenham que ligar de novo (e pagar de novo). Desta forma, o nome correto do plano deveria ser "fale ilimitado até derrubarmos a ligação".

Enfim, a notícia é fresquinha, mas na tela da TV já aparece a atriz Daniele Suzuki anunciando que na TIM o cliente fala ilimitado pagando preço fixo. E nem fica vermelha, ao contrário, fica verde ... de grana (enquanto os clientes ficam verdes de raiva).

E aquela CPI da telefonia celular? Morreu o assunto? Será que já puseram pano$ quente$?

Mudou de vida

Dei uma saída agora à tarde, e no caminho passei em frente a uma banca. Pendurada na porta estava uma revista de celebridades, e a manchete de capa era "A nova vida de Camila Pitanga".

Fiquei pensando se a "nova vida" decorre da fortuna que está recebendo por comerciais da Caixa Federal. E lembrei da definição de Reinaldo Azevedo sobre Camila: "é petista, filha de petista e enteada de petista".

Enfim, não comprei a revista, de forma que não sei se a nova vida de Camila se deve à grana da CEF. Mas seja o que for, que a grana ajudou, ajudou.

Nada como ter companheiros petistas no gerenciamento das verbas publicitárias estatais. E não existe investimento melhor do que aderir ao petismo.

Aquele banco

Lembram daquele banco que Lula salvou? E depois a programação do SBT virou fã de carteirinha do governo petista?

Da Veja.com:

"O Ministério Público Federal protocolou na última quarta-feira, na 6ª Vara Criminal da Justiça Federal, em São Paulo, denúncia contra 14 ex-diretores e três ex-funcionários do Banco Panamericano, por crimes contra o sistema financeiro nacional. A denúncia foi feita com base na lei 7.492/86, que trata dos crimes financeiros.

Além das provas apontadas no relatório da Polícia Federal, encerrado em fevereiro deste ano, o MPF identificou outras possíveis irregularidades na gestão do Panamericano, como o pagamento de propina a agentes públicos, pagamento de doações a partidos políticos com ocultação do real doador, pagamento a escritório de advocacia em valores aparentemente incompatíveis com os serviços prestados e fornecimento de informações falsas ao Banco Central."



Jornal

Nos anos 20 o jornal governista em São Paulo era a Folha da Manhã. Era o porta voz da república do café com leite.

Durante a revolução de 1930, enraivecidos com o governismo do jornal, populares partidários da revolução invadiram em queimaram suas instalações.

Anos se passaram, a Folha da Manhã virou Folha de São Paulo, e ... bem, o leitor já sabe...

Punição petista...

Os ultra-bem remunerados policiais federais e policiais rodoviários federais estão pintando e bordando em sua greve, transformando em reféns os otários cidadãos que trabalham como burros de carga para produzir a arrecadação que paga seus elevados salários.

Pelo noticiário, Dilma está revoltadíssima como o ministro da justiça José Eduardo Cardoso. Dizem as notícias que Dilma manda punir os grevistas, e Cardoso faz que não ouve. Entendo, depois de décadas de atuação no PT estimulando greves, como é que Cardoso vai mudar a maneira de pensar de um dia para o outro?

Ainda segundo o noticiário, Dilma planeja demitir Cardoso. E segundo algumas correntes de informação, vai indicá-lo para o Supremo Tribunal Federal.

Isso que é punição...

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Administrar...

Uma das poucas propagandas que vi na TV diz que o prefeito se revelou um grande administrador, e como prova cabal desta afirmação conta que ele soube captar recursos (empréstimos) no exterior.

Já disseram que administrar era construir estradas.

No século XXI administrar é se envidividar...e deixar a conta para as gerações futuras.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

País ridículo

Semana passada vi uma reportagem que mostrava como os cavaletes com propaganda política nas esquinas atrapalham a circulação de pedestres e a visibilidade dos veículos nos cruzamentos.

A reportagem ia além e mostrava que vândalos derrubam os cavaletes, e uma vez caídos se transformam em armadilhas para os pedestres e, principalmente, para os idosos e cegos.

Aí entrou no ar a entrevista da representante do Tribunal Eleitoral, que tranquilizou a população ... segundo ela, ocorrendo qualquer denúncia de problema ou irregularidade com cavalete o candidato tem até 48 horas para resolver o problema...

Ah, bom.

Os piores

Em qualquer sociedade há gente dissimulada, mentirosa, sem caráter, covarde. O que varia de sociedade para sociedade é a proporção.

Contudo, em todas as sociedades, pessoas com este perfil encontram na política o caminho para a realização de suas aspirações...

Do Luiz Felipe Pondé

"A Anvisa é uma das agências fascistas que querem controlar nossas vidas nos mínimos detalhes, com sua proposta de exigir receita médica para comprar remédios tarja vermelha. É uma das pragas contemporâneas.


Não acredito na boa vontade nem na ciência desses tecnocratas da Anvisa. Acho que eles se masturbam à noite sonhando como vão controlar a vida dos outros em nome da saúde pública. Não acredito em motivações ideológicas para nada, apenas em taras sexuais escondidas. Freud na veia...

Dou mais dois exemplos desse tipo de praga: proibir publicidade para crianças e cotas de 50% nas universidade federais para índios, negros e pobres (alguma pequena porcentagem neste último caso vá lá).

Nós, contribuintes, não podemos nos defender dessa lei das cotas. Essa lei rouba nosso dinheiro na medida em que somos nós que pagamos pelas universidades federais.

Até quando vamos aceitar esta ditadura "light" que "bate nossa carteira" dizendo que é em nome da justiça social? "Justiça social" é uma das assinaturas do fascismo em nossa época."

Do Rodrigo Constantino

"Agora que os principais bancos divulgaram seus balanços do primeiro semestre de 2012, podemos fazer uma análise melhor dos rumos do setor. O que vemos em relação à expansão creditícia, especialmente nos bancos estatais, é inquietante. Não é trivial dizer se há ou não uma bolha de crédito no Brasil. Mas, se o governo seguir na tendência atual, isso claramente será um risco concreto.


A Caixa Econômica Federal expandiu em 45% sua carteira de crédito em apenas 12 meses. Trata-se de um crescimento espantoso, boa parte voltada para o programa "Minha Casa, Minha Vida". O Banco do Brasil, por sua vez, aumentou em 20% a carteira no mesmo período. Juntos, esses dois bancos possuem uma carteira acima de R$ 750 bilhões!

Os bancos privados seguem em mão contrária, reduzindo o ritmo de crescimento. Itaú Unibanco e Bradesco expandiram, na média, em apenas 12% a carteira de crédito nos últimos 12 meses. A inadimplência em alta acendeu o sinal de alerta, e os banqueiros decidiram pisar no freio, apesar da pressão do governo.

O grau de alavancagem dos bancos públicos é bem maior. O Banco do Brasil e a Caixa possuem, somados, mais de R$ 1,6 trilhão em ativos, para míseros R$ 83 bilhões de patrimônio líquido. Ou seja, uma alavancagem de quase 20 vezes! Por outro lado, os três maiores bancos privados possuem, juntos, alavancagem de 10,5 vezes.

Em outras palavras, os bancos públicos apresentam o dobro de risco. A Caixa é o mais agressivo de todos, com quase R$ 600 bilhões em ativos para singelos R$ 21,4 bilhões de patrimônio. Uma alavancagem assustadora de quase 28 vezes! Para explicar de outra forma, basta uma perda de 4% nos ativos para reduzir todo o patrimônio da Caixa a pó.

Ciente do enorme risco, o governo já fala em injetar mais capital no banco. Isso significa, em linguagem clara, que os "contribuintes" serão chamados para pagar pela farra de crédito dos mais endividados. A prudência é punida, enquanto o comportamento de cigarra irresponsável é premiado. O show precisa continuar."

Ontem como hoje

Lendo o volume 1 de Getúlio, de Lira Neto, que se passa nas primeiras três décadas do século XX, tenho a nítida sensação de que estou lendo notícias atuais, apenas com nomes trocados. É o mesmo Brasil.

- Há os donos do poder, que mandam em tudo e em todos, e passam por cima de quem for preciso para vencer eleições;

- A imprensa está a serviço dos donos do poder, e é regiamente paga para isto;

- A denúncia de fraudes nas eleições é enfrentada com pedidos de provas concretas. Assis Brasil, um dos líderes da oposição, responde que provas concretas não existem porque os fraudadores não emitiram memorandos nem deram recibo das fraudes. Não é a mesma discussão que ocorre agora no caso do Mensalão?

Qual a principal diferença entre o começo do século XX e o começo do século XXI?

Bem, naquela época havia gaúchos, e cansados da situação os gaúchos montaram em seus cavalos e foram ao Rio de Janeiro resolver a parada. No século XXI os gaúchos viraram funcionários públicos, e estão mais preocupados com suas aposentadorias e com suas apostas semanais na loteria.


Diogo Mainardi

Assisti ontem à excelente entrevista de Diogo Mainardi no Roda Viva. Uma lástima que Diogo tenha parado de escrever sobre política, e afirme que nunca mais voltará a escrever sobre tal tema. Perde a política.

De tudo o que Diogo disse na entrevista, discordo apenas de uma coisa - sua crítica ao anonimato na internet.

Numa situação em que as estruturas e os poderes do estado estão inteiramente a serviço do PT, o anonimato representa uma tentativa de se criticar o governo sem ter sua vida arruinada pelos agentes públicos. Sem anonimato muitas vozes críticas se calarão.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Grevistas, não percam tempo

Hoje o dia não foi fácil...

Mas acabo de ter um tempo para dar uma olhada nas notícias, e vi no site da Veja.com que os policiais federais trocaram a operação padrão por greve. Mais uma categoria de insatisfeitos.

Senhores funcionários públicos insatisfeitos, a iniciativa privada está de braços abertos para vocês. Não percam tempo aí no serviço público com salários de R$15 mil, R$20 mil ou R$30 mil por mês. Venham aqui para fora, para o mundo real. Venham empreender, onde as possibilidades são ilimitadas.

Deixem de viver às custas do sacrifício dos outros (incluindo o sacrifício dos miseráveis), e venham aqui para a vida real mostrar sua capacidade, enriquecer, e se transformem em criadores de riqueza.

Tenho certeza que com vossa capacidade e conhecimentos, em breve Eike Batista será vosso office-boy.

Não percam tempo com greves.

domingo, 19 de agosto de 2012

Falta gente com vontade de pôr a mão na vassoura...

"Só uma vassourada em regra pode purificar a vida pública, rebaixada por figuras sem significação e aproveitadores gulosos."

João Pessoa em 1929.

Imprensa

“Subsídios oficiais a redações, apesar de constituir um ato condenável do ponto de vista da ética jornalística, eram prática comum na imprensa brasileira. ... Para sustentar as aparências de licitude, o dinheiro público entrava na contabilidade como pagamento pela compra de espaço para publicação de editais e mensagens do executivo.  ... Desse modo, as convicções ideológicas dos proprietários de jornais navegavam ao sabor dos ventos políticos do momento.”
Lira Neto, na pág. 337 de Getúlio, falando sobre a imprensa brasileira na década de 1920.
Pergunto - nesses 90 anos mudou alguma coisa?


sábado, 18 de agosto de 2012

Justiça

De um leitor do Reinaldo Azevedo:

"Paulo Catraca


18/08/2012 às 9:01

Bom dia Reinaldo,

Quando se lê este seu “post” retorna-nos à lembrança o fato de que só existe justiça quando as partes se entendem por si só. Assim que os “doutos” entram no certame, ganha aqueles que são: mais espertos, mais instruídos quanto às brechas propositalmente deixadas nas leis, mais ricos, mais mentirosos, melhores atores, os que melhor distorcem as verdades, aqueles que, com sua oratória bem treinada, conseguem vender gato por lebre aos jurados, os mais inescrupulosos, ou seja, os mais, mais “menos” em tudo.

Que pena que a função dos “doutos” seja ganhar causas e encher os bolsos ao invés de fazer a justiça."

Cartas marcadas

Do Claudio Humberto:

"Na hora do lanche, ministros do Supremo Tribunal Federal comentaram que durante a leitura do voto do ministro relator do caso do mensalão, quinta-feira, o principal assessor do ministro Ricardo Lewandowski se mantinha ao lado de Márcio Thomaz Bastos, advogado de mensaleiro."

Do Rodrigo Constantino



"A esquerda em geral e o PT em particular são mestres no uso de eufemismos para obliterar conceitos ou monopolizar fins nobres. A cartilha politicamente correta deles tenta sempre manipular as palavras em seu favor. É assim que seus crimes viram “malfeitos”, enquanto o dos outros é “roubalheira”. Eles tentam até suprimir da imprensa o termo “mensalão”. Há vários exemplos.


O “pacifista” é aquele que monopoliza o fim nobre da paz, independentemente do meio necessário para tanto. “Justiça social” vira uma meta vaga e ambígua que justifica todo tipo de injustiça contra indivíduos e suas propriedades. O “ambientalista” (leia-se “melancia”) é o único preocupado com o meio-ambiente. Setor “estratégico” vira sinônimo de necessidade de controle estatal, e quem defende a gestão privada vira um “entreguista”.

As favelas viram “comunidades”, as empregadas domésticas viram “secretárias do lar”, os negros e pardos viram “afro-descendentes”. Enquanto isso, o defensor de menos estado e valores tradicionais vira um “ultraconservador”. Não dá para negar que a esquerda sabe usar e abusar das palavras em sua propaganda enganosa como ninguém. São mestres nessa arte.

E por isso tanta preocupação agora com a pecha de “privatistas”. Eles passaram décadas demonizando a privatização, como se fosse o mesmo que um crime hediondo. E eis que, uma vez no poder, a realidade se impõe e a necessidade os obriga a privatizar! A palavra assusta e, desesperados, eles tentam a todo custo se proteger dela. É “concessão”. É “parceria”. "

Vampiros

Durante o mês todo a gente trabalha como burro de carga. No fim do mês vem o governo com o chicote na mão (a lei) e arranca uma pacela significativa do que conseguimos ganhar com o nosso suor, para distribuir para os Donos da República (os funcionários públicos) e para os corruptos. E só. E eles querem mais.

Canetaço

Um canetaço sequestra a poupança de todo um povo.

Um canetaço dá o calote na dívida pública.

Um canetaço extingue o direitos das vítimas de se defenderem, ao impedí-las de possuirem armas de fogo.

Um canetaço absolve toda a quadrilha do mensalão.

Um canetaço acaba com a propriedade privada.

Mas não existe no país nenhuma caneta com poder suficiente para mexer na estabilidade dos funcionários públicos, mesmo daqueles que, uma vez investidos no cargo público, usam seus poderes para fazer a população de refém. Esses, funcionários públicos, são os verdadeiros donos da República, são os nhonhôs da grande senzala chamada Brasil.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Fantástico!

Estou no aeroporto, e há uma TV ligada no Bom Dia Brasil (só assim para eu assistir a Globo...).

Vejo agora que 7 anos após os fatos o Mensalão virou "suposto esquema do mensalão" na cobertura da Globo...

É fantástico...

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Do Coturno Noturno

"Ontem, Brasília virou um inferno. Hordas de sindicaleiros, que representam a casta do funcionalismo público federal que ganha dez vezes mais que um trabalhador comum para dar em troca para a sociedade um dos países mais ineficientes do mundo em tudo, onde a educação é uma porcaria, a burocracia é a tônica e onda corrupção nos órgãos públicos é uma constante, pararam a capital do país.

Xingaram a presidente da República, que é do seu partido e que eles ajudaram a eleger usando o que podiam a máquina pública. Ameaçaram boicotar as eleições. Pararam serviços essenciais no país inteiro. Atazanaram a vida do brasileiro comum, com operações-padrão e falta de atendimento.

Os sindicaleiros querem aumentos absurdos, um verdadeiro acinte ao país pelo que entregam em troca: péssima qualidade nos serviços, filas em todos os lugares, má vontade, prepotência e arrogância. Para devolver isso à sociedade já recebem os melhores salários do país, vantagens automáticas e benesses inimagináveis ao cidadão comum, como aposentadoria integral, por exemplo."

Da Veja.com

"Roberto Jefferson e José Dirceu travaram embates históricos durante a crise do mensalão, em 2005. Treze anos antes, entretanto, a dupla já ocupava lugares opostos em outra crise: a que derrubaria o presidente Fernando Collor de Mello. Ao contrário do que ocorreu durante o mensalão, em 1992 Dirceu queria a investigação – e Jefferson defendia o governo.

O debate na TV Record foi mediado por um jovem bispo da Igreja Universal do Reino de Deus que se lançava na carreira de apresentador de TV: Marcelo Crivella.

O Dirceu pré-mensalão, barbudo, pedia o fim da corrupção: “A CPI, com os poderes que ela tem, funciona como uma espécie de motor da consciência nacional, para que nós ponhamos fim no Brasil à impunidade e, principalmente, à corrupção”, discursou.

O Jefferson pré-cirurgia bariátrica achava que Collor deveria permanecer no cargo apesar do escândalo PC Farias: “O presidente, no exercício de suas funções, é uma garantia democrática e não impede o andamento da Comissão Parlamentar de Inquérito”, disse.

Cassados, Dirceu e Jefferson enfrentam agora o julgamento do mensalão no STF. Crivella, que na época das imagens era apenas um bispo-apresentador de TV, se deu bem: é ministro do governo Dilma. Ministro da Pesca, mas ministro."



E aí Selton Melo?

Leiam a notícia da Veja.com:

"O crime ocorreu na noite de terça-feira em San Matías, um município boliviano na fronteira com o Mato Grosso e onde foram queimados vivos com combustível vegetal dois brasileiros após tirá-los da cela policial em que estavam detidos como acusados de ser os autores do assassinato de três bolivianos na segunda-feira. Segundo a polícia, centenas de pessoas saíram às ruas de San Matías para exigir vingança, ultrapassaram os agentes que tentaram dispersá-las com gás lacrimogêneo, tiraram os brasileiros à força das celas, jogaram gasolina e atearam fogo a eles."


Comento: e então? Será que vai ter filme do Selton Melo retratando a vida desses dois Brasileiros que foram queimados vivos na Bolívia? Será que o governo Boliviano vai pagar indenização milionária para a família das vítimas?


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Depoimentos X atos de ofício

Impedidos, pelo menos por enquanto, de mover ações criminais contra membros do regime militar, os comunistas investem pela via das reparações cíveis. Para eles, comunistas, não bastam os bilhões pagos pelo contribuinte brasileiro a título de "reparações". É preciso atacar, desmoralizar, atingir de qualquer maneira quem colocou sua vida em risco para preservar o país do comunismo.

Ontem foi a vez da confirmação da condenação cível do Coronel Ustra como "torturador".

E quais são as provas contra o Coronel Ustra? Depoimentos de suas supostas vítimas.

As supostas vítimas, que usam depoimentos como prova, são as mesmas que não aceitam nada menos do que atos de ofício como prova para os crimes do mensalão...

Gol!

Lance confuso dentro da área, e a bola corre sobre a linha do gol. O atacante malandro grita "gol!" e sai comemorando. O juíz entra na encenação e valida o gol que não existiu. Levou no grito.

Divulgação do resultado do IDEB. Como não poderia deixar de ser, a qualidade da educação no Brasil é cada vez pior. De imediato o ministro da educação convoca uma coletiva para comemorar os resultados e os "avanços " na educação do Brasil. Pronto, já deu o "lead" sobre a forma como a imprensa deve apresentar o assunto para a população. Levou no grito.

Gol!

Servidores

O sonho de boa parte dos brasileiros (talvez até da maioria...) é ser funcionário público.

Como o estado não produz riqueza, esta maneira de pensar do brasileiro já indica a pouca esperança que devemos depositar no nosso futuro. Se Henri Ford, Bill Gates, Steve Jobs, Sergei Bin e cia. tivessem nascido no Brasil talvez estivéssem lotados numa repartição pública...

Enfim, uma vez atingido o primeiro objetivo - conquistar o direito de viver às custas do povo por toda a vida, o agora novo "servidor público" esquece imediatamente de servir o público que lhe sustenta e adquire uma das seguintes posturas (ou mais de uma):

- Passa a servir ao PT, mas pago por nós;
- Passa a servir não necessariamente ao PT, mas sim à "causa socialista", mas pago por nós (pelo nosso trabalho capitalista);
- Se corrompe;
- Vira grevista profissional.

E nós, que pagamos a conta, não temos nenhum poder sobre eles. O máximo que podemos fazer é ficar resmungando em blogs...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

"Ai, que cansaço"

Hoje o ritmo de trabalho me impediu de atualizar o blog.

Se eu fosse um ministro do Supremo, desacostumado da labuta, estaria aqui a dizer: "ai, que cansaço", ou "vamos adiar estas tarefas para a semana que vem".

Como estou acostumado à labuta, e trabalho não me assusta, sigo aqui enfrentando as tarefas sem reclamar.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Independência entre poderes?

Leiam a nota da coluna de hoje do Claudio Humberto:

"Presidente do PSD, o prefeito paulistano Gilberto Kassab revelou a políticos que compõem sua gestão que só interveio no diretório mineiro a serviço do petista Patrus Ananias, em Belo Horizonte, para “pagar dívida” com a presidenta Dilma Rousseff. Ela teria cobrado a fatura após ter intercedido pelo PSD junto ao Tribunal Superior Eleitoral para garantir o tempo de TV do partido nas eleições municipais"

Comento: como é que é? Então o TSE está subordinado a Dilma? Eu já desconfiava disto, mas ver assim, escrito, em uma coluna que é publicada em dezenas de jornais do páis é um pouco chocante. E vai ficar por isso? Dilma e/ou ministros do TSE vão cobrar explicações de Humberto/Kassab? A OAB vai reagir? Partidos de oposição vão acusar a falta de independência do TSE? Alguém vai recorrer à OEA? O que vai dizer Associação dos Magistrados do Brasil? E aquela tal Associação de Juízes pela Democracia, que só consegue ver justiça em Cuba, vai dizer alguma coisa? E a imprensa?

Bernardinho

Muitos comentários pela internet pedindo a cabeça de Bernardinho.

País de gente medíocre.

Somente com a seleção masculina de volei Bernardinho disputou 40 finais e ganhou 30 títulos.

No campeonato de clubes o clube que ele treina chega na final todo ano, e quase sempre vence.

Qual técnico, em qual modalidade, possui um retrospecto como este na história do Brasil?

Vagabundagem sustentada com dinheiro público

Da Veja.com:

"Estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) realizam um piquete na manhã desta segunda-feira em frente ao prédio do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (Ifcs) para impedir a entrada de professores que desejam retomar as aulas. Cerca de 30 estudantes bloquearam o acesso de professores, funcionários e alunos do instituto que recomeçariam as aulas nesta segunda-feira."




Do Olavo de Carvalho

"O próprio marxismo não seria nada se tivesse a seu serviço somente intelectuais de elite capazes de conhecê-lo e meditá-lo: é a massa dos marxistas inconscientes – aqueles que acreditam não ser comunistas – que lhe dá seu tremendo poder de impregnação na sociedade.


Nossos militares acreditavam piamente que o sucesso da propaganda comunista era fomentado acima de tudo pela miséria e pelo subdesenvolvimento. Deram o melhor de si para combater esses dois males. Elevaram consideravelmente o PIB, construíram obras públicas fundamentais e, no conjunto, suas realizações nada perdem na comparação com as de outros governos criativos, como Getúlio Vargas e JK, com a diferença nada desprezível de que no tempo destes últimos a corrupção crescia junto com o país.

Tudo isso é excelente em si mesmo, mas não ajudou em nada a deter o avanço do esquerdismo revolucionário. Nem poderia ajudar. O comunismo jamais recrutou o grosso dos seus militantes entre os miseráveis, mas entre jovens de classe média, inconformados de que a instrução que receberam não lhes dê a ascensão social e política que promete e que imaginam merecer.

O progresso econômico dos anos 70-80 espalhou universidades por toda parte e multiplicou ilimitadamente o "proletariado intelectual", como o chamava Otto Maria Carpeaux, a massa de estudantes semi-instruídos aos quais, ao mesmo tempo, o governo sonegava toda formação política conservadora, deixando-os à mercê dos professores esquerdistas que já naquela época monopolizavam as cátedras universitárias. A crença no poder mágico do crescimento econômico e a completa ignorância do fator cultural (que àquela altura os próprios comunistas já haviam compreendido ser o mais decisivo) selaram o destino do regime.

Dizem que a Arena, nesse período, chegou a ser "o maior partido do Ocidente". Chegou, sim, em número de votos e de candidatos eleitos. Mas eleitores vão e vêm. O que fica, num partido, é a militância organizada, ideologicamente adestrada, espalhada e arraigada no fundo da sociedade civil, capaz de disseminar na opinião pública um corpo de crenças, valores e atitudes duráveis, não meros nomes de candidatos que no dia seguinte serão esquecidos.

A Arena não tinha nada disso. Tinha apenas cabos eleitorais. Ao primeiro sopro de um vento contrário, seus eleitores bandearam-se para o PT e demais partidos de esquerda, sem nem mesmo perceber que haviam mudado de filiação ideológica. O enigma aparente de um povo conservador que só vota em candidatos de esquerda tem ao menos parte da sua explicação no esforço de esvaziamento ideológico da sociedade, empreendido pelos governos militares."



Mistério

Como criminalistas tão fracos em oratória e argumentos em plenário podem custar tão caro?

Provavelmente porque são muito bons em oratória e argumentos de gabinete, a portas fechadas...

Apoio a Dilma

Em quase 100% das situações eu e os projetos/idéias petistas estamos em campos opostos do debate.

Contudo, uma postura do governo Dilma merece o meu apoio - o enfrentamento aos funcionários públicos grevistas.

Nas categorias que estão em greve, falar em R$10 mil mensais é troco. Isto num país pobre, sem educação, sem saúde pública, sem segurança, sem infraestrutura, com tudo por fazer.

É um escárnio desses funcionários públicos para com o população, que trabalha para pagar os seus altos salários.

Se acham que R$10, R$15 ou R$20 mil mensais é pouco, que venham para a iniciativa privada, que irá recebê-los de braços abertos. Aqui poderão trabalhar e superar a fortuna do Eike Batista.

Mas enquanto estiverem na segurança do emprego público, vivendo às custas do sacrifício da população, tenham um pouco de compustura.

Creio que a postura de Dilma é mais por falta de dinheiro do que por convicção. Não importa. Enquanto estiver enfrentando os sanguessugas terá o meu apoio.

Índios desinformados...

Aqui na cidade tem alguns índios, que ficam nos cruzamentos vendendo artesanato e pedindo esmolas para os motoristas.

São índios desinformados.

Como coloquei num post abaixo, os índios brasileiros são a nação mais rica do planeta, deixando para trás qualquer facebook da vida. Meia dúzia de índios possuem um território superior ao de Portugal.

Eu, motorista, é quem deveria pedir esmola para o índio que chega na janela do carro.

O que é isso, Aldo?

Li na Veja desta semana uma notícia no mínimo estranha. Aguardo que o ministro Aldo Rebelo venha a público para desmentí-la.

Segundo a notícia, Aldo, ministro do esporte, teria ficado insatisfeito com o desempenho pífio dos atletas Brasileiros em Londres e teria determinado que a partir de agora os bilhões que o governo e as estatais torram com esportes terão que ser repartidos segundo o mérito (desempenho) dos atletas.

Achei que eu havia lido errado, li de novo e, de fato, a palavra mérito estava lá.

O que é isso, Aldo?

Ou a notícia é uma mentira (e cabe a Aldo desmentí-la) ou Aldo está no governo (e partido) errado.

Não existe a palavra "mérito" no governo socialista Brasileiro. As novas cotas sociais universitárias estão aí para provar isto.

Assim, a repartição dos bilhões destinados ao esporte deve ser feita de acordo com as cotas sociais e raciais de cada região do país. Nada de mérito, Aldo.

Ou o governo entende que para formar médico, engenheiro, vale o social, mas para correr e saltar tem que valer o mérito?

Com a palavra Aldo Rebelo e o governo Dilma.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Brincando de índio

Como comento num post abaixo, os índios brasileiros são os maiores possuidores de terras do mundo. Menos de 500 mil indivíduos dividem um território superior ao de Portugal.

Como Reinaldo Azevedo observa em seu blog, nesse mundão de terra todo não se planta nem um pé de feijão. Enquanto isso, em países pobres, principalmente da África, seres humanos morrem de fome.

Mas e quando chegar o dia em que o crescimento populacional levar outras regiões do mundo como, por exemplo, a China a terem problema de fome? O que os senhores acham que acontecerá?

Minha opinião? Povos famintos, mas com poder bélico, simplesmente invadirão esses imensos espaços vazios e tomarão para eles. E não poderemos mais brincar de índio.

Enquanto isso não acontece, seguimos brincando.

Carta Capital

Carta Capital, a revista que só existe em função da publicidade estatal, vai novamente às bancas com uma calúnia na capa, desta vez mais uma calúnia contra Veja.

Imagino que todos os caluniados (semana após semana) estejam movendo ações de indenização contra a Carta Capital. Ações que, quando julgadas, resultarão em milhões de reais de indenizações.

E por que a Carta Capital parece não estar nem um pouco preocupada com isso, e segue lançando calúnias?

Porque ela sabe que quando a conta das indenizações chegar o governo petista vai socorrê-la com publicidade estatal, o que significa que nós, contribuintes, pagaremos pelas calúnias da Carta Capital.

O único erro nesta estratégia da revista seria o PT estar fora do poder quando a conta chegar, mas nesta possibilidade nem eu acredito.

E a Veja desta semana, virá com o que na capa? Com mais uma matéria sobre a novela das 8?

SUS

O que vou narrar pode parecer mentira, mas não é. Uma funcionária minha possui um problema de saúde, que precisa ser operado. Como é doença pré-existente, não é coberta pelo nosso plano de saúde corporativo. Terá que ser operada pelo SUS, ou particular.

Pois bem, o processo todo (consultas, exames) para se chegar à decisão de operar foi bastante lento. Entre a decisão e a efetiva marcação da cirurgia transcorreu quase um ano.

Enfim, estava marcada para julho. No mesmo dia em que ela deveria se internar, ligaram do hospital avisando que a cirurgia estava cancelada por falta de material cirúrgico.

Voltaram a marcar, desta vez para agosto (hoje). Ela foi ao hospital, foi internada, fez o jejum, todos os procedimentos preparatórios para a cirurgia (além da preparação psicológica) mas, na hora H, cancelaram de novo por falta de anestesista.

Não acredito que isto só aconteça com ela. Deve ser generalizado.

Este é o sistema de saúde que Lula já definiu como "quase perfeito".

Só não entendo como esse povo não se rebela. Ou melhor, entendo...

Uma nação de milionários

Conforme divulgado agora pelo Coturno Noturno (com dados oficiais do governo), os índios detém legalmente 12,5% do território nacional. Isto, segundo contas do Coturno, dá 203 hectares de terra por índio.

O valor do hectare de terra varia muito no Brasil, mas vamos fazer uma conta com um valor de R$800 mil para cada 100 hectares (se for em região agrícola vale muito mais).

Neste caso, cada índio possui um patrimônio mínimo de R$1.600.000. Se uma família de índios tiver 4 integrantes, terá um patrimônio conjunto mínimo de R$6.400.000.

Desta forma, os índios brasileiros são a primeira nação de milionários do planeta.

Nem os Emirados Árabes possuem este nível patrimonial.

Nem o Vale do Silício, na Califórnia...

Valor Econômico

O jornal Valor Econômico traz na edição de hoje a seguinte manchete princiapal (em letras garrafais):

"Dilma pede ajuda de Lula para enfrentar greves do serviço público"

Lendo a manchete fiquei com as seguintes dúvidas:

1) Será que Lula já ligou cedo para agradecer ao editor do jornal pela "canja"?

2) O Valor Ecomômico estaria noticiando em manchete aquilo que sempre suspeitei, ou seja, que Dilma é despreparada para exercer a presidência da república?

3) Caso Lula atenda ao apelo, como pretende ajudar? No seu governo ele nunca enfrentou os grevistas, ele simplesmente concedia os aumentos pleiteados e jogava a conta para o contribuinte pagar...

PF a serviço do PT

Há muito tempo, desde 2003 mais precisamente, suspeita-se que a Polícia Federal esteja mais a serviço do PT do que do interesse público.

Ontem Tuma Jr., ex-secretário de justiça no governo Lula, fez a seguinte afirmação:

"Após o inquérito sobre a ex-secretária da Receita Lina Vieira, dos relatórios de inteligência cuidadosamente confeccionados contra adversários, dossiês não investigados e dos vazamentos seletivos, o Planalto deveria atender as reivindicações da PF sem pestanejar!"

Se eu ainda consigo interpretar textos, o que Tuma Jr. está confessando é que a PF trabalh de fato a serviço dos ocupantes do poder e, portanto, estes ocupantes do poder deveriam retribuir em aumentos salariais.

E não é qualquer um que está afirmando isto, é alguém que ocupou cargo chave no governo Lula. Fala, portanto, com conhecimento de causa.

Num país sério, que não somos, daria investigação no Congresso. No Brasil do PT, do povo otário e dos jornalistas comprados não dá nem manchete.

Greves

Do Correio Braziliense:

"A sensação de impotência, com poderes da República reféns dos próprios funcionários, cresce na mesma proporção em que prejuízos se disseminam, atingindo desde o aluno de instituição pública de ensino superior, há mais de 80 dias sem aula, às exportações e importações, à pesquisa nacional, à elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).


Urge encontrar solução que resgate o país da barafunda em que vai se metendo. Não se vê crise semelhante na iniciativa privada, que estudos mostram pagar salários menores e oferecer menos vantagens. Por que, então, justamente quem deveria estar mais satisfeito (ou menos insatisfeito, que seja) põe o patrão — e a sociedade, que, no fundo, lhe banca a remuneração e conta com os serviços do Estado — contra a parede? Por desfrutar do privilégio da estabilidade no emprego, de direito de greve que espera por regulamentação há quase um quarto de século, pela comodidade de não ter os dias parados descontados no contracheque?"

Bipolar

A coluna diária do jornalista Claudio Humberto possui um comportamento bipolar. Muitas vezes é excelente. Outras vezes é um lixo jornalístico.

Julgo a coluna como excelente não só quando tráz notícias que me agradam, mas, sim, quando tráz notícias, informações, mesmo que eu não goste da informação.

Julgo a coluna como uma porcaria quando ela se aproxima do estilo dos conhecidos blogs sujos a serviço do PT, pagos com nosso dinheiro, e se transforma num mero amplificador de discurso petista.

A coluna de ontem, por exemplo, trazia o seguinte sob o título de "Em queda":

"Em queda

Lula confidenciou a interlocutores que acredita que Serra irá cair nas próximas pesquisas de intenção de voto".

Estou entre os primeiros que acham Serra um candidato ruim de doer, em qualquer eleição. Quando eleito, é um ótimo admistrador, mas na democracia para chegar a ser eleito é preciso ser um showman, e Serra decididamente não é.

Contudo, onde está a notícia na nota de Claudio Humberto? Onde está a informação? É mera amplificação de discurso plantado por petistas, e o título da nota, "Em queda", já confere até uma aura de fato ao que não passa de especulação.

É óbvio que Lula tem que acreditar que Serra vai cair, afinal ele, Lula, é o adversário de Serra (na forma de seu candidato fantoche Fernando Haddad).

Notícia, Claudio Humberto, seria se Lula tivesse confidenciado a interlocutores que acredita que Serra vai subir nas próximas pesquisas...


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Alerta

Reinaldo Azevedo, em excelente texto, alerta - após conquistarem 50% das vagas das universidades federais a próxima trincheira dos cotistas serão ... as empresas privadas.

Preparem-se empresários, logo quem vai determinar quem deve ser contratado por sua empresa será um ente externo à empresa (um comitê racial e/ou social).

Pergunto - sabedores disso, algum empresário fará alguma coisa para impedir que isto ocorra?

NENHUM!

Piada do dia

"PP apoiou medidas do PT por convicção política, diz defesa".

Façamos o histórico retroativo do tal PP. Se nome anterior foi PPB. Antes disso, PDS. E um pouco antes ... Arena, o partido de sustentação do regime militar.

Ou seja, segundo a defesa a "convicção política" dos arenistas era mesmo apoiar projetos do PT..., não foi a grana do Mensalão que lhes sensibilizou para a "causa"...

Imagino como esses "progressistas" sofreram durante os 21 anos de ditadura militar, tendo que se travestir de conservadores...provavelmente a partir de 1980 já vestiam camisetas do PT com foto de Lula sob seus ternos pretos.

Façam-me o favor...

Sobre cotas

O senado aprovou lei que reserva 50% das vagas em universidades federais para cotas sociais e raciais.

Outro dia li um texto que foi precisamente ao ponto:

- Com alunos mal preparados no ensino fundamental e médio, as universidades federais se transformarão em ambientes intelectuais medíocres;

- Se os políticos desejassem de fato corrigir as injustiças do sistema público de ensino no Brasil trabalhariam para qualificar os ensinos fundamental e médio;

- Mas ... crianças e adolescentes (ensino fundamental e médio) não votam, enquanto universitários são eleitores;

- Concluindo, teremos universidades públicas caríssimas, que nenhum conhecimento produzem, destinadas apenas a cumprir seu papel na politicagem dos donos do poder.

Caixa 2

Como já tive oportunidade de escrever aqui, creio que os réus do mensalão serão absolvidos. Pelo menos os graúdos. Podem pegar alguns peixes menores para fazer de exemplo, mas o compando sairá impune. É o que penso. E isto´, em minha opinião, está decidido nos bastidores. Cada ministro já sabe como vai votar, e o ritual observado até agora no tribunal (acusação, defesa) é mero jogo de cena.

Independentemente do que eu penso (que já está tudo decidido) corre por aí (imprensa, blogs) o seguinte entendimento:

- Se colar a versão de que tudo não passou de caixa 2, estará tudo bem e os réus serão absolvidos;

- Se não colar, serão condenados.

Senhores da imprensa, me respondam uma coisa: desde quando caixa 2 passou a ser uma prática permitida pela legislação no Brasil?

Artistas

Artistas estão sempre prontos para colocar o seu sorriso de dentista e a sua credibilidade (?) a serviço de quem paga bem.

Como o principal pagador atual é o governo (e suas estatais), artistas são petistas até a alma.

Mas não é só para o governo que eles se vendem, é para qualquer um que pague seu preço.

Lembro, como já relatei aqui, de um tal de Tele Bingão Milionário, que tinha Marcos Frota como garoto propaganda. Frota não se limitava a anunciar o produto, ia além e dizia "este eu garanto". Bem, o tal bingão era uma pilantragem, deixou todo mundo na mão e Frota nunca mais apareceu para tratar das garantias que ele havia fornecido...

Temos agora o caso do petista Wagner Moura, aquele que na ficção combate bandidos. Moura ganhou muita grana colocando seu sorriso e sua imagem a serviço da Tim, anunciando Liberty, Infinity, etc. Segundo a Anatel a operadora derruba de propósito as ligações de quem possui esses planos para que os usuários tenham que ligar (e pagar) de novo.

Será que Moura não fica com nenhuma pontinha de vergonha?

Creio que não, afinal a falta de vergonha deve ser um pressuposto para quem está à venda.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

A cara da justiça no Brasil atual

Do Rodrigo Constantino

O brasileiro paga uma das gasolinas mais caras do mundo, o país ainda precisa importar derivados de petróleo após décadas de sonho com a autossuficiência, a estatal é palco de diversos escândalos de corrupção, mas muitos ainda repetem, inflando o peito, que “o petróleo é nosso”. Nosso de quem, cara-pálida?


O crescimento da produção de óleo e gás da Petrobras desde que o PT assumiu o governo foi medíocre: somente 2,4% ao ano. Trata-se de um resultado lamentável após tantos bilhões investidos, inclusive com financiamento do BNDES.

A Petrobras, que tinha R$ 26,7 bilhões de dívida líquida em 2007, terminou o primeiro semestre de 2012 devendo mais de R$ 130 bilhões. O endividamento sobe em ritmo acelerado por conta de seu gigantesco programa de investimentos, mas nem os investidores nem os consumidores se beneficiam disso.

A rentabilidade da Petrobras é uma das menores do setor. Seu retorno sobre patrimônio líquido não chega a 10%, metade da média de seus pares internacionais. Os investidores acusam o golpe, e as ações da Petrobras apresentam um dos piores desempenhos no mundo.

Desde 2009, suas ações caíram 5%, enquanto o Ibovespa subiu mais de 40% e a Vale mais de 50%. É o governo destruindo o valor da poupança de milhares de pessoas, incluindo todos que utilizaram o FGTS como instrumento para apostar na empresa.

Por que não há maior revolta então? Por que não há mobilização pela privatização da Petrossauro, como a chamava Roberto Campos? Parte da resposta é o fator ideológico já citado. Outra parte diz respeito a enorme quantidade de grupos de interesse que mamam nas tetas da estatal.

Seus 80 mil funcionários custaram para a empresa mais de R$ 18 bilhões em 2011, ou quase R$ 20 mil mensais por empregado. Claro que muitos merecem o que ganham, mas como negar o uso da estatal como cabide de emprego para os “amigos do rei”?

Fornecedores nacionais ineficientes ou corruptos também agradecem, pois não precisam competir abertamente no livre mercado. O caminho até a estatal muitas vezes é outro, como comprova o caso do Silvinho “Land Rover”, o ex-secretário do PT que ganhou um carro importado de uma empresa fornecedora da estatal.

Artistas e cineastas engajados da “esquerda caviar” também aplaudem a estatal, que destinou mais de R$ 650 milhões para patrocínios culturais de 2008 a 2011. Isso sem falar de blogueiros “chapa-branca”, que recebem gordas verbas da estatal. A lista é longa.

Os políticos, então, nem se fala. Quem esqueceu Severino Cavalcanti negociando à luz do dia, em nome da “governabilidade”, aquela diretoria que “fura poço”? O ex-presidente Lula era outro que adorava usar a Petrobras para seus fins políticos em parceria com Hugo Chávez.

População e estado reféns

"Greve cresce e ameaça imobilizar a Esplanada

Mais servidores entram em greve

Correio Braziliense - Brasília - 08/08/2012

Movimento é reforçado por servidores de 26 carreiras típicas de Estado,como funcionários do Banco Central e agentes da Polícia Federal. A paralisação pode interromper a retirada de passaporte e a emissão de papel-moeda.

Agentes da Polícia Federal param por tempo indeterminado. Delegados, peritos e funcionários do Banco Central, por 24 horas

Os servidores das carreiras típicas de estado do Executivo Federal vão reforçar a pressão sobre o governo e engrossar a paralisação nacional do funcionalismo público federal ao longo das próximas duas semanas. Ao todo, 26 categorias devem se juntar a outras de cerca de 30 órgãos federais já paralisadas e ao Judiciário. Grande parte desses servidores deve cruzar os braços e interromper as atividades em setores estratégicos, prejudicando desde serviços de retirada de passaportes e emissão de papel-moeda até a elaboração da Lei de Orçamento."

Greves

Passei há pouco em frente à Receita Federal e vi que estão em greve. Ontem policiais federais iniciaram sua greve. Se juntam a uma infinidade de categorias de funcionários públicos que já estavam em greve.

Parece que os funcionários públicos decidiram mostrar de vez, para quem ainda não sabia disso, que governo (e população) são reféns dêles e que, portanto, ao governo (e população) cabe apenas o papel de dizer "sim senhor" às suas demandas de aumento.

Foram os governantes, com sua covardia, seu esquerdismo e sua incapacidade gerencial que colocaram o país nesta situação. O povo, com sua ignorância, endossou tudo nas urnas.

E agora?

Falta de hábito

Trabalho, assim como o esporte, exige hábito, prática, treino. Não dá para pegar um sedentário (como eu) e colocar para correr a maratona. Não dá para pegar quem não é acostumado a trabalhor muito e de uma hora para a outra pretender que comece a trabalhar bastante.

Notícia da Veja.com:

"O cansaço está começando a se mostrar entre os ministros do STF.


A ampliação do número de sessões para garantir o cumprimento do cronograma, que era algo considerado viável, começa a perder força."



La Dolce Vida

Da Veja.com:

"A Coreia do Norte é um dos países mais fechados do mundo, mas nem por isso a cúpula do regime comunista ignora a moda. A imprensa norte-coreana divulgou nesta quarta-feira uma fotografia da mulher do ditador Kim Jong-un com uma bolsa da marca francesa de luxo Christian Dior."




terça-feira, 7 de agosto de 2012

A Era da Mediocridade

Pelo que se viu no STF nos últimos dois dias a chamada Era da Mediocridade, iniciada no Brasil em 1/1/2003, não poupou nem os advogados criminalistas...

Ser petista é o melhor investimento

Do Claudio Humberto:

07/08/2012

00:00

Casa dos sonhos de Lula custa R$ 22 milhões

O Instituto Lula nega, mas o assunto é o tititi de corretores em São Bernardo do Campo (SP): o ex-presidente estaria de novo interessado na mansão de R$ 22 milhões do falecido empresário José Roberto Preto, das empreiteiras Emparsanco e H. Guedes, “estrelas” de obras públicas na cidade. Com as filhas casadas, a viúva quer vender a casa na rua Carlos Maranesi, no bairro Anchieta, o mais chique da região.

Servidores públicos?

Como diz a Exame desta semana, servidores públicos passam no concurso para se servir do estado, jamais para servir o público, que lhes paga o salário.

Ligamos há pouco para um órgão público com uma dúvida. A resposta veio no padrão de quem está lá para ganhar sem trabalhar: "vão ler a Lei".

Do Olavo de Carvalho

“Praticamente nada do que se ouve de altos funcionários da Casa Branca se publica nos principais jornais e canais de TV sem ser antes aprovado, alterado ou totalmente reescrito por homens de confiança do presidente. Pior: o encarregado da censura não é sequer um órgão do governo – é o escritório da campanha eleitoral de Obama, em Chicago.


Que esse controle existia desde as eleições de 2008, era algo que se podia perceber pelo conteúdo uniforme, escandalosamente seletivo, do noticiário, onde nem uma linha que pudesse arranhar a reputação de Barack Hussein Obama era admitida. O que não se conhecia eram os mecanismos, os canais por onde a censura se exercia.

A confissão de Peters decifrou o enigma: a central de propaganda obamista tem autoridade total para decidir o que o público americano pode ou não pode saber. Peters admite que não só os repórteres do próprio NYT, mas quase todos os jornalistas incumbidos de cobrir os assuntos da presidência concordam com essa imposição, uns por genuína cumplicidade, outros por medo de perder as fontes ou mesmo de ter seu acesso barrado nos órgãos da administração federal.

Como é notório que a presidência Obama tem estimulado por todos os meios a ascensão de forças anti-americanas ao poder no Oriente Médio, compreende-se que investigações a respeito também ocupem um lugar de destaque na lista dos assuntos a evitar. Dias atrás, quatro deputados, entre os quais a republicana Michele Bachmann, pediram aos encarregados da segurança interna do Departamento de Estado que investigassem uma das principais assessoras de Hillary Clinton, Huma Abedin, cuja família tem, comprovadamente, ligações íntimas com a Fraternidade Islâmica e até com o Hamas.

Imediatamente a grande mídia e o exército inteiro dos idiotas úteis, a começar pelo príncipe deles, John McCain, responderam como se a boa imagem da Sra. Abedin estivesse acima de quaisquer considerações de segurança nacional. Onde já se viu, disseram, levantar suspeitas contra uma pessoa tão distinta? Não haveria motivações racistas na mente satânica da deputada Bachmann?

A liberdade de imprensa, enfim, desapareceu nas camadas superiores do país que a ensinou ao resto do mundo. Só subsiste no rádio, na internet e em alguns jornais e revistas regionais.”

Dar ao povo o que o povo quer...

Parece que aos poucos algumas últimas trincheiras da oposição vão se rendendo ao petismo. Cito dois casos exemplares:

- Kátia Abreu - inteligente, preparada, combativa, oposicionista exemplar, liderou no senado a votação que derrubou a CPMF em 2007. Está deslumbrada por Dilma;

- Gustavo Fruet - um dos raros cérebros no Congresso, inteligente, com capacidade de raciocinar, questionar, argumentar, foi um dos únicos oposicionistas combativos nos oito anos de governo Lula. Concorre a prefeito de Curitiba e sua vice é do PT.

É como se eles, e outros, fossem cansando. É como se pensassem: "depois de tudo o que aconteceu o povo segue votando no PT, então que demos ao povo o que o povo quer".

Mas o povo é sábio?

Eu imaginava a democracia como um regime onde pessoas de inteligência e preparo superiores conseguiriam liderar o povo para as melhores escolhas. Dentro de um adequado sistema de pesos e contrapesos.

Dar ao povo o que o povo quer é fácil. Não exige preparo. Por exemplo, se a Globo está perdendo audiência nos seus horários de novelas, basta caprichar na sacanagem, na malandragem e nas cenas de sexo que a audiência volta. É dar ao povo o que o povo quer...

Imagino que se formos pelo caminho de dar ao povo o que o povo quer nossa sociedade como um todo acabará num grande bacanal romano...

TIM

Como já relatei aqui no blog, sou uma vítima da TIM. Uma entre milhões.

Fosse este um país sério e esta empresa teria dificuldades para continuar operando por aqui.

Vejam a notícia da Veja.com e avaliem a honestidade desta empresa:

"A operadora de celular TIM é acusada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de interromper de propósito as chamadas feitas pelo plano Infinity, no qual o usuário é cobrado por ligação e não por tempo. As informações são do jornal Folha de S. Paulo e constam no relatório da própria Anatel feito entre março e maio e entregue ao Ministério Público do Paraná.


A agência monitorou as ligações nacionais durante este período e comparou as quedas de ligações do plano Infinity com os outros da companhia. O resultado foi a constatação de que a TIM “continua derrubando” de forma proposital as chamadas dos usuários do plano ilimitado. Segundo o jornal, o documento mostra um índice de queda de ligações no Infinity quatro vezes superior ao dos demais usuários. Este plano entrou em vigor em março de 2009 e atraiu milhares de clientes para a companhia."



segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Nuremberg

Se algum criminalista brasileiro famoso tivesse participado do julgamento de Nuremberg, seria assim: "Alguém possui o documento escrito e assinado (com firma reconhecida) onde meus clientes aparecem como mandantes da suposta solução final? Se não existe tal documento, exijo a absolvição e soltura  imediata de todos os réus, para que possam voltar às suas atividades profissionais e ao convívio de suas famílias".

Pensamento

Pensamento de um advogado que trabalha na defesa de políticos corruptos: "Usarei todo o meu conhecimento e a minha energia na justificativa das safadezas cometidas pelo meu cliente. Não terei escrúpulos. Inventarei as teses mais mirabolantes para justificar os desvios. Se as teses colarem, terei contribuído para o extermínio definitivo da moralidade pública no Brasil. Acabo com o futuro do país, participo na destruição da nação onde meus filhos e meus netos irão viver. Mas salvo meus honorários. Amém."

Caixa 2

Qualquer idiota sabe que o mensalão não foi um esquema de caixa 2 eleitoral, foi um esquema de desvio de recursos públicos para compra de congressistas. Enfim, para a compra daqueles que deveriam ser livres para votar representando o povo.

Contudo, desde que Marcio Thomaz Bastos criou a tese, petistas dizem: "era caixa 2". Como se caixa 2 fosse, assim, uma coisa corriqueira, normal, bobinha, sem maldade.

Imaginem os senhores o que aconteceria se um fiscal da receita federal viésse aqui questionar as movimentações da minha conta bancária e eu respondesse: "bobagem, é só caixa 2".

Infelizmente, eu não teria dinheiro suficiente para contratar Marcio Thomaz Bastos.

Profissão errada...

Mandei uma proposta merreca para uma empresa, e foi um parto para fechar. Agora há pouco um gerente me ligou comunicando que finalmente a proposta foi aceita e complementando: "consegui sensibilizar os nossos diretores quanto à necessidade do seu trabalho e razoabilidade dos honorários".

Respondi para ele o seguinte: "se eu tiver a oportunidade de reencarnar, vou escolher uma profissão onde os meus clientes não precisem ser "sensibilizados" quanto a preço". Poderia ser:

- Arquiteto/decorador de mansão de dondoca;

- Decorador de festa de bacana;

- Estilista de grife famosa;

- Cantor de sertanejo universitário;

- Pintor de rabiscos incompreensíveis sobre tela.

Entre outras...




Prova

Não gosto de advogados criminalistas, apesar de poder vir a precisar deles, afinal, neste país do PT qualquer um está sujeito a sair algemado e erguido nas mãos da Polícia Federal, com direito a capa de jornal e tudo, para provar sua inocência depois (depois de já ter tido sua vida destruída).

Mas, por princípio, não gosto de quem usa todo o seu talento intelectual e retórico para manter fora da cadeia assassinos, traficantes, sequestradores, pedófilos, mensaleiros. Sinceramente, não sei como criminalistas conseguem dormir à noite.

Ouvindo alguns comentários de criminalistas sobre o processo do mensalão percebo que a tese central é: "não tem prova".

Este, aliás, é um dos argumentos mais usados por criminalistas na defesa de seus clientes.

O conceito de prova é, realmente, complexo e, a prevalecer a argumentação dos criminalistas, ninguém mais (ou quase ninguém) seria condenado por crime nenhum no país.

Pensemos no caso de um assassinato. O que seria prova de que X matou Y?

Ter as digitais de X na arma do crime não prova nada, afinal digital não serve para provar que foi ele quem efetuou o disparo fatal.

Ter depoimentos de testemunhas também não prova nada (tem um monte de depoimento no processo do mensalão), afinal a defesa pode alegar que é palavra contra palavra.

Ter a confissão do assassino também não prova nada, afinal a defesa pode alegar que X foi coagido a confessar.

Desta forma, talvez a única prova que pudesse satisfazer a defesa seria uma filmagem em vídeo (alta definição) de toda a sequência do crime, mostrando bem o rosto de X. Mesmo assim, o vídeo precisaria ser periciado, e ainda haveria a possibilidade de alegar legítima defesa...

No caso de corrpção, então, onde criminalistas estão a exigir "ato de ofício" para que o crime seja provado, abre-se, se a tese vingar, um caminho definitivo e seguro para nunca ninguém ser condenado por corrpção no Brasil - bastará não deixar nada escrito...



Está aí para ficar

Um amigo me falou o que muita gente também pensa (inclusive no PSDB): com a crise que vem por aí teremos a chance de tirar o PT do poder.

Eu discordo desta linha de raciocínio.

Desde o governo Sarney, até 2002, Lula sempre se posicionou como oposição. Estava o tempo todo na imprensa, criticando tudo e todos, dizendo que ele tinha a solução para todos os problemas (sem nunca contar a solução...), dando opinião sobre qualquer assunto, etc.

E assim ele era percebido pela população. Desta forma, qualquer insatisfação da população (principalmente em relação à economia) resultava num crescimento do número de intenções de votos para Lula. Era um movimento natural e quase automático: "se estamos insatisfeitos com isso, queremos votar em quem seja contra isso", e "contra isso" era sempre o Lula.

Quem representa este papel na atualidade? Ninguém!

O tal Aécio, o traidor de Minas, é um omisso. Serra terá muita dificuldade até para se eleger prefeito de São Paulo. Os demais são desconhecidos da população.

Assim, não existe ninguém que possa ser percebido pela população como "alternativa a isso".

Aliás, tem sim ... caso a crise se aprofunde (e eu acredito que irá se aprofundar) e o governo Dilma resulte num grande fracasso econômico (e eu acho que vai resultar) o povo perceberá como "alternativa a isso" ... ele mesmo, Lula.

Sendo assim, ouso afirmar que com crise ou sem crise não há chance de vermos o PT fora do poder federal.

De O Estado de São Paulo

"As greves repetem-se no serviço público, voltadas maciçamente para a busca de benefícios para os grevistas, sem que os idealizadores e participantes demonstrem estar pensando, ao menos um pouquinho, na população atingida. Parece estar ocorrendo uma espécie de renascimento da República sindical sonhada por João Goulart, Leonel Brizola e outros radicais de esquerda em 1964.


Curioso observar que ocorreu no governo Lula a anulação e dilaceração da União Nacional dos Estudantes (UNE), que foi inchada e anestesiada pelos recursos petistas, a ponto de se converter num de seus apêndices, tornando-se dócil, obediente e manobrável. Mas essa mesma tática, voltada para os sindicatos e as centrais sindicais, ao pretexto, quem sabe, de fortalecer o governo petista, acabou por conturbar a vida do País e difundir a impressão de que a democracia é o melhor dos regimes, mas não quando estamos submetidos ao exagero das greves.

Torna-se evidente que falta algo para bloquear o prevalecimento desses interesses de classe sobre os da população. Sim, parece faltar a lei que regulamente o direito de greve no serviço público, mas isso não se constitui em tema que atormente os nossos políticos, nem mesmo a presidente Dilma Rousseff."

sábado, 4 de agosto de 2012

Atletas brasileiros

E o desempenho dos brasileiros nas olímpiadas?

O governo petista tem despejado milhões de dinheiro público na tal "Bolsa-Atleta", mas qual o resultado disso?

Se investisse a grana em ginásios, equipamentos, pelo menos poderiam ser utilizados por todos que se interessam por esportes.

Ao direcionar a grana pública para alguns, garante um monte de eleitores petistas, mas qual o resultado prático deste investimento, além do resultado eleitoral?

Num país onde falta tudo - infraestrutura, hospital, educação, segurança - é função prioritária do governo sustentar atletas? Ou é só a formação de mais um curral eleitoral?

Foi quem?

Do Olavo de Carvalho

"Éverdade que os militares não roubavam, que eles fizeram o Brasil crescer à base de quinze por cento ao ano, que eles construíram praticamente todas as obras de infra-estrutura em que a economia nacional se apoia até hoje, que eles acabaram com as guerrilhas, que no tempo deles a criminalidade era ínfima e que os índices de aprovação do governo permaneceram bem altos pelo menos até a metade da gestão Figueiredo. Que tudo isso são méritos, ninguém com alguma idoneidade pode negar.

Mas também é verdade que, tendo subido ao poder com a ajuda de uma rede enorme de instituições, partidos e grupos conservadores e religiosos, a primeira coisa que eles fizeram foi desmanchar essa rede, cortar as cabeças dos principais líderes políticos conservadores e privar-se de qualquer suporte ideológico na sociedade civil.

Fizeram isso porque não eram conservadores de maneira alguma; eram indivíduos formados na tradição positivista – forte nos meios militares até hoje – que abomina o livre movimento das ideias na sociedade e acredita que o melhor governo possível é uma ditadura tecnocrática.

Pois foi uma ditadura de militares e tecnocratas iluminados o que impuseram ao País por vinte anos, rebaixando a política à rotina servil de carimbar sem discussão os decretos governamentais. Suas mais altas realizações foram triunfos típicos de uma tecnocracia, seus crimes e fracassos o efeito incontornável do desejo de tudo controlar, de tudo reduzir a um problema tecnoburocrático, em que o debate político é reduzido a miudezas administrativas e a iniciativa espontânea da sociedade não conta para nada."

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Eu quero ver exemplos



Alguns grupos pregam a extinção humana, como forma de preservar a natureza. Por que eles não começam dando o exemplo? Se eliminassem a si próprios, além de darem o exemplo, preservariam alguns milhões de litros de água, alguns milhares de árvores e evitariam a produção de muitas toneladas de carbono...

Mas podemos esperar sentados. Algum desses defensores da extinção da raça humana dar o exemplo extinguindo a si próprio é tão improvável quanto um comunista começar dividindo o próprio patrimônio...



Do Claudio Humberto


03/08/2012

00:00

Dinheiro a rodo

Somados, os honorários dos advogados dos réus do mensalão são superiores aos orçamentos de metade dos municípios brasileiros.

03/08/2012

00:00

Defesa no mensalão

A página do ministro Celso Amorim (Defesa) nas redes sociais sapecou: “Defender Zé Dirceu é defender fundamentalmente a consolidação democrática em nosso pais. Chega de ditadura midiática”.

Comento: Celso Amorim é o segundo na linha de comando das forças armadas, abaixo apenas de Dilma.

O maior?

O SBT lançou já há algum tempo um concurso chamado "O maior brasileiro de todos os tempos".

Desde que vi o primeiro anúncio fiquei com a impressão de que foi lançado justamente para Lula "ganhar", e ajudar a amortizar a dívida que Silvio Santos tem com ele, por tê-lo livrado da falência.

Concursos assim são uma bobagem, que dias depois ninguém mais lembra. Alguns anos atrás a Globo promoveu o concurso da "brasileira mais bonita do século". Alguém lembra quem venceu?

E o concurso do Itaú para escolher os monumentos que seriam símbolos das principais capitais. Alguém lembra quem venceu em alguma cidade?

Mas ... mesmo que dias depois ninguém mais lembre, no caso de uma "vitória" de Lula servirá para a imprensa fazer mais um oba oba por algum tempo.

Ridículo - outro dia, zapeando pelos canais, passei pelo tal programa do SBT e os candidatos a "maior brasileiro de todos os tempos" apresentados naquele dia eram William Bonner a Amado Batista...

Palerma, II

Osmar Serraglio demonstrou, à época do Mensalão, que é um palerma.

Sete anos após os fatos, resolveu falar. Imagine se ele agisse assim na sua vida pessoal ... chegaria com sete anos de atraso ao aniversário dos filhos, à consulta médica, às provas da faculade...

Conforme pode ser visto na notícia abaixo, da Veja.com, já partiu a ordem para que ele cale a boca. Vai calar e garantir o seu lugar de palerma na história do país?

"Nesta quarta-feira, primeiro dia de trabalho depois das férias parlamentares, os deputados Arlindo Chinaglia e Jilmar Tatto, líderes do governo e do PT na Câmara, respectivamente, procuraram a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para reclamar do aliado.


A conversa foi sobre a substituição do vice-líder. A portas fechadas, no gabinete de Ideli no Palácio do Planalto, o comentário revelava a irritação. A queixa não chegou a Dilma, segundo seus auxiliares, mas o PMDB do vice-presidente Michel Temer foi acionado e enquadrou Serraglio. Líderes peemedebistas telefonaram para o deputado e determinaram que ele pare de falar sobre as investigações do mensalão.
Ideli teria ficado furiosa com o trecho da entrevista no qual Serraglio vinculou o nome dela à blindagem de José Dirceu, hoje o principal réu do mensalão. "A tropa de choque que dificultava a evolução da investigação era formada por (Carlos Augusto) Abicalil, (Jorge) Bittar e Ideli (Salvatti), que era senadora à época", disse o ex-relator da CPI na entrevista.
Serraglio afirmou que o PT barrava qualquer iniciativa da comissão para proteger Dirceu. "Faltou muita coisa. Muito do que eles ficam batendo agora que ‘não tá provado isso, não tá provado aquilo’ é porque a gente estava amarrado, não tínhamos liberdade", disse. "Hoje, por exemplo, o Dirceu fala que não tem nada a ver com isso. Poderíamos ter feito provas muito mais contundentes em relação à evidente ascendência que ele tinha"."



O crime perfeito?

Criminosos existem desde o surgimento do homem. Ao longo da história muitas organizações criminosas se estruturaram, se sofisticaram, se tornaram mais ousadas e, muitas vezes, tentaram se infiltrar no poder público.

Algumas até tiveram algum sucesso, pelo menos por algum tempo ocuparam espaços da admnistração pública. Mas até hoje não surgiu o crime perfeito. Organizações poderosas, como a Máfia Italiana, acabaram sendo combatidas por homens de bem e com coragem. Cartéis de droga de países sulamericanos também foram combatidos (pelo menos enquanto não descobriram que precisavam se declarar "socialistas" para que parassem de encher o seu saco...).

Mas nunca antes na história deste mundo uma organização criminosa se infiltrou em todas as instâncias de uma sociedade, na alma do povo, nas consciências de jornalistas e artistas, nos cérebros dos intelectuais, nos bolsos dos grandes empresários, na inércia dos militares, na malandragem das polícias, na verba dos meios de comunicação, nos cargos eletivos e até na suprema corte.

Acreditam vocês ser possível a existência de um país onde isto esteja ocorrendo?

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O vencedor do primeiro dia

Foi Levandowski.

Seu objetivo, desde que se tornou revisor, é fazer com que Cesar Peluso (que se aposenta em setembro) não seja mais ministro quando chegar a hora da decisão.

Hoje, com sua atuação, conseguiu fazer o dia ser perdido.

Julgamento do século?

Num país civilizado a condenação de corruptos deveria ser notícia comum, rotineira.

No Brasil não, é excepcional.

Mas mesmo assim, mesmo sendo excepcional, seria suficiente para chamar de "julgamento do século" o julgamento do mensalão?

Creio que não.

E o que faz deste julgamento um caso tão especial?

O fato de terem petistas entre os réus.

Colocar um petista na condição de réu é tão improvável quanto uma galinha cruzar voando o Oceano Pacífico. Condenar um petista por crimes, contudo, seria tão improvável quanto esta mesma galinha ir voando até Marte (e voltar).

Petistas estão acima das leis do país, acima de Deus, acima das leis da física que regem o universo.

Até Jesus, o filho de Deus, foi crucificado. Um petista nunca...

Aos safados

Uma observação aos safados que berram pela proibição das armas de fogo toda a vez que algum maníaco resolve cometer uma chacina - quem é maníaco homicida (como demonstra o post abaixo) vai matar de qualquer jeito, vai matar com o que estiver à mão.

Se tiver arma de fogo, vai matar a tiro. Senão, vai matar com faca. Sem faca, vai matar com pau e pedra.

A única forma de atingir o objetivo de evitar chacinas cometidas por maníacos homicidas seria ... extinguir a raça humana.

Proibam as facas!!!

Segue notícia da Veja.com. Comento na sequência.

"Um jovem de 17 anos armado com uma faca matou oito pessoas e feriu outras cinco na cidade chinesa de Liaoning, informou nesta quinta-feira a agência oficial Xinhua. O agressor, do qual só foi divulgado seu sobrenome, Li, apunhalou dois parentes de sua namorada, com os quais tinha tido uma discussão.


As outras seis pessoas foram assassinadas durante a sua fuga, até que acabou sendo detido. O ataque aconteceu na noite de quarta-feira em Yongling, localizada em Fushun, uma área habitada principalmente pela etnia manchu, segundo fontes do governo local citadas pela agência chinesa."

Comento: Isto é um absurdo! Desarmamento já! É preciso desarmar a população! Vamos proibir a produção e o comércio da facas. Vamos também proibir a produção e a comercialização de tesouras, navalhas, lâminas de barbear, apontadores de lápis, enfim, qualquer objeto cortante que possa colocar em risco a vida humana.




Guerrilheiros comunistas virtuais

Um dos poucos sites de direita no Brasil é o Mídia Sem Máscara, o qual visito diariamente.

Geralmente entro no Google, digito "midia sem mascara", e vou ao site. Sim, já poderia ter o endereço no meu browser, já que acesso todo o dia, mas encontrar tudo através do Google é tão fácil...

Mas, enfim, procurei o site no Google agora há pouco, como faço diariamente, e recebi uma mensagem automática: "Atenção, acessar este site poderá danificar o seu computador".

São os guerrilheiros comunistas virtuais em ação, muitas vezes com o auxílio de multinacionais zilionárias, como Google, Yahoo...