Pesquisar este blog

domingo, 31 de dezembro de 2017

Do Flavio Gordon

"Autoimunizados contra os efeitos causados pela corrupção praticada pelo seu partido durante o tempo em que controlou o poder de Estado, aqueles justiceiros sociais já se aplicam na montagem de uma nova e mais nociva grande estrutura corruptora. É assim que, gramscianamente posicionados nas redações de jornais, nas universidades, no mercado editorial, na indústria cinematográfica, nas artes, e, sobretudo, nas salas de aula, batalhões de corruptos intelectuais já se empenham na missão de reescrever a história conforme os desejos do Novo Príncipe. De acordo com a nova narrativa, eles terão sido, mais uma vez, os imaculados heróis da democracia, os amigos das "coisas frágeis e pobres" em luta perpétua contra os poderes deste mundo."

Do Flavio Gordon

"E quanto mais afastados estão esses jovens de uma formação cultural e intelectual sólida, menos falta sentem dela, imaginando poder conceder aos outros aquilo de que carecem acima de tudo. Estão convencidos de que irão salvar o mundo, sem notar que, num pacto faustiano com o poder, perderam completamente a própria alma."

Do Flavio Gordon

"Os pais, que outrora lamentavam perder os filhos para as drogas e as más companhias, agora os perdem para a universidade. Mais dia, menos dia, e a menina dos olhos da família, outrora tão carinhosa e prestativa, entra porta adentro transformada na mulher-cachorro, mais uma vítima dessas gigantescas máquinas de despersonalização em que se converteram as faculdades brasileiras."

As orações do Reinaldo parecem não estar sendo suficientes

Em texto recente, Reinaldo Azevedo revelou que reza diariamente por Angela Merkel, a principal agente da islamizacao da Europa. Li há pouco na Fox News que a pesquisa mais recente aponta que cerca de 50% dos alemães querem que ela renuncie. Parece que as orações não estão sendo suficientes.

Em congresso do MBL realizado em 2016 Reinaldo declarou que, se americano fosse, votaria em Hillary. Bem, Hillary perdeu.

Isto dá alguma esperança, afinal na política brasileira o Reinaldo é o maior entusiasta do Lula...

sábado, 30 de dezembro de 2017

Do Flavio Gordon, sobre intelectuais e pobres

"Aflitos com o colapso da hegemonia cultural de esquerda, os intelectuais brasileiros insistiram em defender o moribundo governo Dilma com base naquela ilusória autoidentificação com "as coisas frágeis e pobres". De braços dados com os donos dos bancos Itaú, Bradesco ou Santander, não deixaram, esses nossos sentimentais, de se imaginar idênticos às "coisas frágeis e pobres". Aliados objetivos da Odebrecht, da Camargo Corrêa, da OAS e tutti quanti, continuaram, subjetivamente, a secretar o lirismo autopiedoso das "coisas frágeis e pobres". Irmanados a banqueiros, empreiteiros, megaempresários e caciques políticos, nossos "frágeis e pobres" intelectuais enragés, quer fossem petistas, quer apenas simpatizantes, investiram contra a poderosa "elite" formada por 92% dos brasileiros..."

Do Flavio Gordon, sobre os intelectuais

"A ideologia tem permitido aos intelectuais brasileiros "ser elite quando necessário, ou povo quando conveniente"(Daniel Pécaut)."

Do Flavio Gordon, sobre a universidade

"universidade, hoje reduzida a uma fábrica de militantes e operários do partido."

Do Flavio Gordon, sobre os jovens

"Esses jovens e adolescentes foram cobaias de um experimento social sinistro, uma espécie de transplante do espírito coletivo de vingança de uma intelectualidade revolucionária - que no passado viu frustrados os seus planos de poder - para corpos novos e sadios, por meio dos quais aquela vampiresca geração pretende viver para sempre."

Comemorar o quê?

À medida em que amanhã a meia noite se aproximar o país será tomado pela histeria que tem caracterizado as passagens de ano nas duas ou três últimas décadas (antes disso não era assim). Multidões reunidas, frenesi, fogos, abraços, bebidas, juras que serão descumpridas em poucos dias. Enfim, uma comemoração insana, como se o mero transcorrer de um dia no calendário tivesse a possibilidade de mudar substancialmente algo na vida (só mudará, de fato, para quem ganhar na Mega da virada).
As mudanças substanciais não se realizam em um dia, elas demandam anos, às vezes décadas. E minha percepção é de que as mudanças têm sido implacáveis para pior. Ano após ano desconstrói-se o caráter, os valores, a família, os princípios, em troca de um retorno à selvageria. É claro que isso vai acabar não dando certo, e tragédias advirão.
No nosso caso específico, o que há para comemorar na entrada de 2018?
O processo democrático (e não sou fã da democracia) já virou uma farsa completa, tendo em vista que o STF vermelho resolveu ignorar a Constituição e assumir o poder de fato no país. E os comunas que lá estão não são eleitos por ninguém, nem podem ser removidos por eleições. 2018 nos reserva a possibilidade de eleição de um Lula, Ciro, ou algo do gênero. Nesta situação, os vermelhos do STF transferirão o poder ao presidente eleito para que ele conduza o país para a ditadura bolivariana.
Poderemos, também, eleger um Alckmin, situação na qual teremos uma presidência de ficção por quatro anos, enquanto seguirá o processo de desconstrução social tão bem iniciado por FHC, preparando o caminho para um Lula, Ciro ou algo do gênero assumir em 2023. Será uma morte mais lenta.
Por fim, existe a possibilidade de eleição de Bolsonaro. Mas, neste caso, ele só governará de fato se der um golpe de estado, pois de outra forma os vermelhos do STF invalidarão todos os seus atos.
Na esfera internacional o Irã estará um ano mais perto da bomba atômica, enquanto a Coreia do Norte seguirá aumentando seu arsenal de destruição em massa, sem nenhuma ameaça real além da retórica.
Assim, tenho apenas uma certeza – em 31/12/18 sentiremos saudades de 31/12/17.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Da Gazeta do Povo

Os aumentos salariais concedidos a servidores públicos foram um dos culpados por reduzir a velocidade da queda da desigualdade no país no período recente. Outro efeito dos altos salários do funcionalismo, acima da média da população e até mesmo do que funcionários do setor privado com a mesma escolaridade, é que o Distrito Federal se tornou a unidade da federação com maior desigualdade de renda em todo o país
O IBGE, em levantamento com dados da PNAD, aponta que está no Distrito Federal a maior discrepância entre a renda média dos 5% mais ricos (R$ 12.900) contra a renda dos 5% mais pobres (R$ 151). Os dados foram compilados por pesquisadores do Fundo Monetário Internacional (FMI) e mostram ainda que está no DF a maior renda média entre os mais ricos na comparação com esse mesmo grupo de outros estados. São Paulo tem o segundo maior salário médio entre os mais ricos (R$ 8.200), quase R$ 5 mil a menos que no DF. 

Do Flavio Gordon

(para os intelectuais) "O interesse pelas manobras dos EUA no período (1964) é indício de boa saúde intelectual; o interesse pelas manobras da URSS, de anticomunismo patológico."

Do Flavio Gordon

"Importa notar que aquele vírus freudo-marxista infectou a tal ponto a esquerda mundial que, hoje, a agenda desta consiste quase exclusivamente na busca por satisfação imediata das pulsões e apetites, ou, em outros termos, naquilo que proponho chamar de luta pelos direitos do baixo-ventre. Marcuse foi o pai de gerações e gerações de filhos bastardos, pessoas mimadas, imaturas, que parecem de fato ter regredido a um estágio puramente libidinal do desenvolvimento ontogenético humano, anterior à emergência do princípio da realidade. Grande parte do que hoje se chama de "direitos sociais", "direitos das minorias" ou "direitos sexuais e reprodutivos", numa tentativa de se imantar na aura das campanhas pelos direitos civis, não passa de um anseio de retorno ao princípio do prazer, um clamor por eternamente mamar, gozar, receber, fruir. E nada poderia ensinar mais sobre a natureza dos fins do que a mera observação dos meios pelos quais a esquerda marcusiana os tem exigido: vômito, cuspe, excreção, defecação, inserções anais e vaginais. Eis algumas das formas contemporâneas de protesto, bem condizentes com as demandas, sugerindo uma regressão às fases iniciais (oral, anal e fálica) do desenvolvimento infantil. Se a utopia de Marcuse era uma nova civilização erótica, tudo o que conseguiu promover foi uma nova barbárie escatológica."

Do Flavio Gordon

"Os militares brasileiros não compreendiam que, na nova modalidade de luta revolucionária, o inimigo imediato da esquerda já não eram os donos do poder ou do grande capital, mas da casa. A família - tradicional e burguesa - convertia-se em antro de hipocrisia, repressão sexual e reacionarismo político. Compreendida como pilar de sustentação do capitalismo e do próprio regime, era o alvo a ser abatido pela esquerda pós-pecebista docemente abrigada nas tevês Tupi, Globo e demais nichos da indústria cultural de massa."

A matemática da Rede Bandeirantes

https://www.facebook.com/CanetaDesesquerdizadora/videos/521084944942114/

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Do Flavio Gordon

"Hoje, os jovens brasileiros de esquerda sentem-se profunda e dolorosamente oprimidos sempre que seus desejos políticos não são aceitos como mandamentos divinos universalmente válidos. E manifestam essa sensação de maneira tipicamente histérica: somatizando-a em ânsias de vômito, taquicardias e crises convulsivas de choro. Muitos desenvolvem um processo quase alérgico quando expostos a opiniões divergentes ou obstáculos ao seu poder, que lhes soam como escandalosos, verdadeiros crimes contra a humanidade."

Do Flavio Gordon

"O sentimento de culpa - a famigerada culpa "judaico-cristã", como há trezentos anos maldizem os revolucionários com esgares de nojo - não integra a estrutura de consciência da esquerda, e é isso que faz com que os males políticos por ela cometidos sejam mais profundos e destruidores que os demais. Não por acaso que os comunistas tenham sido, por um lado, os principais formuladores de um discurso de indignação moral contra os males do mundo e, por outro, os maiores perpetradores desses males, brindando a humanidade com um festival de horrores de dar inveja ao próprio satanás. Há duas coisas que o comunismo fez em escala industrial: denunciar e matar."

Do Flavio Gordon

"O intelectual de esquerda é um tipo curioso, uma hidra de várias cabeças. Com Marx e Engels, ele aprendeu que as condições materiais nas quais vive uma pessoa (ou seja, sua classe social) determinam a sua consciência. Essa regra tem validade universal, aplicando-se a todos os seres humanos exceto ... o intelectual de esquerda ele mesmo. Pois com Nietsche o intelectual aprendeu que a sua vontade - mas só a sua (dele) - é soberana."

De Alan Kors, em 2003

"O ocidente tolera um notável, monstruoso, imperdoável duplo padrão. Recitamos os crimes do nazismo quase diariamente, os ensinamos aos nossos filhos como lições históricas e morais definitivas, e prestamos testemunho a cada vítima. Mas, quase sem exceção, mantemo-nos em silêncio sobre os crimes do comunismo. Assim é que os corpos jazem entre nós, despercebidos, em toda parte. Insistimos na "desnazificação", e acusamos quem a relativiza em nome de realidades políticas novas ou emergentes. Nunca houve e nunca haverá uma equivalente "descomunização", embora o sacrifício de inocentes tenha sido exponencialmente maior, e embora aqueles que assinaram as ordens e comandaram os campos de concentração continuem por aí. No caso do nazismo, vamos atrás de homens de 90 anos porquê os ossos clamam por justiça. No caso do comunismo, insistimos no "sem caça às bruxas" - deixem que os mortos sepultem os vivos. Mas os mortos não podem sepultar ninguém. O holocausto comunista deveria ter provocado um florescimento na arte ocidental, e testemunhos, e simpatia. Deveria ter produzido um oceano transbordante de lágrimas. Em vez disso, tudo o que suscitou foi uma geleira de indiferença.  Garotos que, nos anos 1960, tinha retratos de Mao e Che pendurados nos muros da escola - o equivalente moral de possuir retratos de Hitler, Goebbels ou Horst Wessel - hoje ensinam nossas crianças sobre a superioridade moral da sua geração política."

Do Flavio Gordon

"Durante os anos seguintes, a KGB só fez intensificar suas medidas ativas (praticadas através de jornalistas ocidentais abduzidos pelo comunismo). Somente em 1974, de acordo com estatísticas da agência, mais de 250 medidas ativas tiveram a CIA por alvo, levando a denúncias de abusos cometidos pela agência americana (a maioria dos quais inteiramente fictícios), veiculadas na mídia, em debates parlamentares e em discursos políticos. Graças, em larga medida, a essas ações de propaganda, a CIA quedou sob um cerrado escrutínio político, como jamais ocorrera ou viria a ocorrer com qualquer outro serviço secreto. Contrastando com o que se passou à sua consorte americana, como veremos, a KGB beneficiou-se de um confortável desinteresse midiático sobre suas ações, podendo agir livremente longe dos holofotes."

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Do Flavio Gordon, sobre Gramscianismo

"A herança cultural cristão era, para o marxista italiano, o principal entrave ao avanço do comunismo. No contexto de outubro de 1917, por exemplo, restara evidente que o senso comum do povo russo era fortemente moldado pelos valores do cristianismo ortodoxo, que o predispunham a posturas conservadoras contra as quais a doutrina marxista-leninista era impotente. Sendo assim, a estratégia revolucionária gramsciana afirmava "a necessidade de novas crenças populares, isto é, de um novo senso comum e, portanto, de uma nova cultura e de uma nova filosofia, que se enraizassem na consciência popular com a mesma solidez e imperatividade das crenças tradicionais". O que se propunha era uma radical ruptura com o passado, mas uma ruptura que, em vez de proclamada abertamente sob a forma de doutrina política, deveria ocorrer sorrateira, no domínio da psique humana. "As revoluções se fazem no espírito antes de passar para as coisas", escreveu Albert Mathiez, historiador marxista da revolução francesa, uma lição que Gramsci seguiu à risca. "

O brasileiro é um caso patológico, II

Ler primeiro o post abaixo deste.

A tal pesquisa poderia ser assim noticiada: sete em cada dez brasileiros são idiotas, o que demonstra claramente que a democracia no Brasil é um regime inviável, e a insistência neste modelo só afundará o país num buraco cada vez mais profundo.

O brasileiro é um caso patológico

Provavelmente, cada um desses sete carregava em seu bolso um ou dois aparelhos de celular, equipamento ao qual só tiveram acesso por contas das privatizações.
O Brasil é um país imprevisível, mas em relação a uma coisa ao menos é possível prever o futuro: somos um país de castas desde 1.500, e continuaremos sendo enquanto os chineses não tomarem este território de nós - a casta dos privilegiados, abrigados sob o guarda chuva estatal, e o resto. A notícia é da Rede TV:


Pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que sete em cada dez brasileiros são contrários à privatização de estatais. O levantamento, que foi divulgado na edição desta terça-feira (26) do jornal Folha de S. Paulo, também aponta que 67% das pessoas veem mais prejuízos que benefícios com este tipo de medida.

Do Flavio Gordon

Sobre a queda do Muro de Berlim, e o suposto "fim" do comunismo:

"Se formos pressupor a existência de alguma inteligência maquiavélica por trás da estratégia toda, seria preciso admitir haver se tratado de um golpe de mestre. Com o comunismo morto e enterrado, ele ficava livre de críticas, as quais naquelas condições soavam até mesmo como indecorosas, haja vista o alegado estado de decomposição do cadáver. Todo o esforço crítico passava então a concentrar-se nas dinâmicas internas do capitalismo supostamente triunfante, que ganhava ainda um novo rótulo, talhado à medida para atemorizar os espíritos mais frágeis: neoliberalismo."

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Do Flávio Gordon

Dos anos 1960 em diante, aquele ambiente de alta cultura simplesmente ruiu. Tudo o que não fosse a imagem e semelhança do intelectual enragé de esquerda desapareceu do horizonte intelectual. Talvez por isso, sem um adversário que a confrontasse com a realidade e as próprias deficiências, a esquerda tenha se debilitado tanto, restando sozinha em seus delírios de poder e debatendo-se perante inimigos imaginários. O que se entende por "direita" hoje no Brasil não passa de uma caricatura, um espantalho, um rótulo acusatório abrangendo todos os fantasmas que a mentalidade esquerdista é capaz de produzir. Um jovem estudante que hoje ataca a "direita" não tem a mínima ideia do que está falando, porque seus professores, e os professores destes, jamais usaram o termo de modo substantivo, senão apenas como adjetivo. A direita real foi banida e, na falta de exercício intelectual, a própria inteligência de esquerda atrofiou brutalmente. Era o fim da alta cultura e do debate de ideias no país, substituídos cada vez mais por corporativismo e patrulhamento ideológico.

Do Flávio Gordon

Vivemos a era da bondade espalhafatosa, autocomiserada, narcísica e vaidosa de si. Nossa concepção de bondade e de justiça tornou-se açucarada e enjoativa. Não exibe aquela ágil e prosaica indiferença descrita por Proust, senão o peso solene de quem vive o tempo todo a mirar-se no espelho da aprovação alheia. Temos uma bondade acusatória e indulgente. Sou bom, logo, tudo me é permitido. Que se dê uma espiadela nas redes sociais, nos grandes veículos de comunicação, no meio artístico, nas universidades, e os rostos da bondade artificial estarão todos lá, como máscaras grotescas, carrancas afetadas e autopiedosas que destilam o seu farisaico senso de justica e o amor de dois tostões pelos oprimidos do mundo.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Pátria educadora

Do Flávio Gordon:

"O Estado ampliado encerra um poder virtualmente inabalável, dado que o exercício da coerção por parte da classe dominante estará ancorado numa hegemonia prévia. Aí, o Estado já não é apenas ente de força, mas também educador. Além de administrar a coisa pública, ele busca fomentar toda uma moral coletiva."

Do Flávio Gordon

"O ativismo politicamente correto que toma conta das redações de jornais e das cátedras universitárias grassa também no meio jurídico, em que juízes e advogados progressistas se arvoram no direito de usar o poder da lei para educar uma sociedade que, do alto de sua onipotência revolucionária, eles consideram "atrasada"."

Do Flávio Gordon

"Note-se, pois, que tudo pode ser relativizado, até mesmo a natureza e a biologia humana, menos a palavra da antropologia e da teoria de gênero. Esta é absoluta. A vontade humana pode tudo, exceto contrariar as últimas modas teóricas nos clubinhos universitários. Eis aí o limite do relativismo."

sábado, 23 de dezembro de 2017

Do Flávio Gordon

"Fica claro que a blindagem à imagem do ex-presidente Lula - que o livrou, por exemplo, de tornar-se réu já no processo do mensalão - tem uma longa história. Ocorre que, caindo Lula e tudo aquilo que ele representava, arriscava desabar também a laje de ilusões autolisongeiras sobre a qual a classe falante brasileira edificou o seu ganha-pão. Destarte, os pés de barro do ídolo precisavam vez ou outra de um retoque, e até mesmo alguns de seus adversários políticos (em especial os membros do alto tucanato) dedicaram-se com afinco à missão."

Do Flávio Gordon

"Ao contrário daquilo que até seus críticos têm o hábito de afirmar, Lula não é e nunca foi um político particularmente brilhante. Ardiloso, isso sim, e malandro, seu sucesso deveu-se muito mais aos seus vícios - a sua mais completa amoralidade, por exemplo - que às suas virtudes."

Do Flávio Gordon

"Quais segmentos sociais agiram ou deixam de agir para que um tipo como Lula - sujeito sem caráter ou princípios, tal como rconhcido até mesmo por alguns de seus ex-companheiros de partido - ganhasse estatuto de grande estadista e símbolo pátrio?"

Livro do Flávio Gordon

O livro A Corrupção da Inteligência, intelectuais e poder no Brasil, de Flávio Gordon, é o melhor livro que li nos últimos quatro anos. Talvez o melhor dos últimos dez anos. E um dos melhores que li na vida.

Num ambiente de domínio da ignorância, como o Brasil (ocidente todo), a penetração de uma obra como esta será mínima. Mas eu enfaticamente recomendo aos leitores deste blog (uns cinco) que leiam o livro do Gordon. É essencial. É indispensável. É fundamental.

Publicarei alguns trechos no decorrer dos próximos dias.

"O leitor brasileiro que se informa apenas pelos grandes jornais, vê-se na condição de Sancho Pança, seguindo fielmente o "cavaleiro de triste figura" em sua interpretação delirante do mundo."

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Não adianta, Reinaldo Azevedo, seu lugar no paredão já está reservado

Leiam trecho do blog do Reinaldo Azevedo. Comento na sequência,

"Luiz Inácio Lula da Silva convidou jornalistas para um café da manhã nesta quarta. Falou sobre muita coisa. A peça de resistência, obviamente, foi insistir na sua inocência. E, ora vejam, este humilde jornalista foi objeto de algumas considerações do ex-presidente. Observo — assistam ao vídeo que parte da audiência não entendeu que o líder petista estava falando a sério ao aconselhar os jornalistas a fazer “como o Reinaldo Azevedo está fazendo”."

Comento: não adianta nada ser citado pelo líder da seita. Reinaldo Azevedo pode ter se transformado no maior defensor de Lula no jornalismo brasileiro. Mas se Lula ou alguém da seita for eleito, e cumprir a promessa de transformar o Brasil em ditadura bolivariana, Azevedo acabará no paredão de fuzilamento, junto comigo e com você, leitor. Não adianta puxar o saco, e Azevedo deveria saber disso.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

De Roberto Rachewski

FHC diz que o povo deseja do governo coisas simples e diretas como decência, emprego, educação, saúde, transporte e segurança.
Não, senhor FHC, do governo o povo quer apenas segurança e decência. Admiro-me ainda hoje que, com toda a sua cultura e experiência, segue sem saber o que nós liberais, com cultura e experiência menores que o senhor, já sabemos. Sempre que o governo tenta oferecer algo mais do que segurança, ele perde a decência e o povo deixa de ter emprego, educação, saúde e transporte (algo que deveria ter por sua própria conta).

O ser humano é um caso patológico

Ontem ocorreu a eleição do Chile. Felizmente o candidato conservador venceu, o que dá mais 4 anos de existência para o país. Mas 45% dos Chilenos escolheram votar no candidato bolivariano.

O Chile é um país minúsculo, metade é deserto, quase não possui recursos naturais, e de tempo em tempo é destruído por um terremoto. Mesmo assim, é o país da América Latina onde a população possui a melhor condição de vida. E isso porquê o país acreditou no capitalismo, passou pelas reformas necessárias, investiu em educação, focou nos produtos nos quais possui competitividade e buscou mercados globais.

Pois bem, mesmo neste cenário 45% dos chilenos (e talvez uns 90% dos jovens) escolheram votar no candidato que prometia destruir tudo isso pelo "bem do povo".

O ser humano é um caso patológico.

Se a ciência não tivesse sido sequestrada pelo proselitismo, isto mereceria um estudo.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Alckmin é uma total nulidade

Leio que o PSDB, sob a presidência de Alckmin, "fechou a questão" a favor da reforma da previdência, o que em bom tucanês significa que cada tucano votará como bem entender. Se votação houver.

Como Alckmin pretende ser presidente, unir o congresso e o país, se ele não consegue exercer liderança sequer sobre seu próprio partido?

Além disso a divisão sobre o tema demonstra que o PSDB não possui nenhum projeto, como partido, para o Brasil. Como o PT.

Do Olavo de Carvalho

Detalhe importantíssimo: militantes de esquerda usam as mesmas palavras da linguagem comum, mas dando-lhes um sentido diferente no seu vocabulário especial, de modo que a mesma palavra é compreendida num sentido pelo público leigo, e em outro sentido pelos “de dentro”, pela militância. Praticamente todo porta-voz da esquerda sabe jogar com esse duplo sentido, levando a platéia a crer que ele diz uma coisa quando, para os fins práticos da atividade revolucionária, está dizendooutra completamente diversa.
Por exemplo, a palavra “ditador”. Para o público geral, significa um governante controlador e autoritário, que suprime as liberdades, envia os opositores à cadeia, etc. No vocabulário técnico do gramscismo, significa qualquer um que, subindo ao poder, reverta o progresso do controle hegemônico, pouco importando que o faça por meios ditatoriais ou democráticos. Quando o esquerdista acusa, por exemplo, o Donald Trump de ser um ditador, a platéia leiga acredita que ele oferece perigo real para as liberdades democráticas, mas a militância esquerdista sabe que ele está apenas atrapalhando a ascensão dela ao controle hegemônico da sociedade.

O Brasil é um hospício

Em dezembro de 2007 assisti encantado enquanto a Senadora Kátia Abreu liderava a oposição e derrotava o então imbatível governo Lula na questão da prorrogação da CPMF.

Dois ou três dias depois, por coincidência, fomos acomodados em mesas lado a lado num restaurante em São Paulo, e conversamos por alguns minutos. Eu saí encantado com o seu discurso de oposição implacável ao PT, e pensei: gostaria que ela fosse candidata à presidência.

Digamos que no dia seguinte eu sofria um acidente e entrava em coma. Acordava em janeiro de 2015, no quarto do hospital havia uma televisão, e nela eu assistia à posse de Dilma (?) para o seu segundo (?) mandato com o presidente da república, dando continuidade à ditadura petista e, entre seus ministros estava ... Katia Abreu.

Provavelmente neste momento eu entraria em coma novamente, acreditando estar louco e tendo alucinações. Voltaria a acordar em dezembro de 2017, e perceberia que alguém deixou um laptop no quarto do hospital. Correria para ler o blog do Reinaldo Azevedo, afinal sempre fui um leitor fiel. Procuraria no site da Veja e não o encontraria por lá. Pior, descobriria que a Veja se transformou em militante de causas progressistas. Procurando no Google, encontraria o blog do Reinaldo no site da Rede TV (?). Ao ler o blog descobriria que Reinaldo bate em todos os candidatos presidenciáveis, e até naqueles que apenas pensaram ser candidatos, como João Dória. Existe apenas um candidato presidenciável que é defendido cotidianamente por Reinaldo - Lula.

Coma novamente.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Do Olavo de Carvalho, sobre o livro O Tolo e Seu Inimigo

O autor parte da tensão tipicamente contemporânea entre a necessidade de defender a civilização contra seus inimigos e a desagregação da própria sociedade ocidental que recusa não só a condição de indefesa como a existência mesma de seus inimigos. O resultado, como não poderia deixar de ser, é o suicídio da sociedade e o colapso de toda a civilização.

Você S/A

Segundo a capa da revista Você S/A, da Editora Abril, sobre transsexuais: "nos últimos três anos, cresceu quase 300% o número de empresas interessadas em capacitar, contratar e incluir esse público. Por que isso é uma vantagem competitiva para as companhias e para os profissionais que trabalham nelas."

O primeiro ponto é que acho que com a profunda crise financeira pela qual a Abril passa, não sobrou ninguém para fazer revisão de português, sequer das capas.

Mas o que eu gostaria mesmo de entender é a questão da vantagem competitiva. Atuo há alguns anos no mercado, e sei de várias coisas que geram vantagens competitivas. Elenco algumas:

- Inovação;
- Qualidade;
- Preço;
- Logística;
- Design;
- Marca;
- Preço da mão de obra (razão pela qual o produto chinês é tão competitivo);
- Dinheiro do BNDES;
- Subsídios;
- Ambiente regulatório;
- Reserva de mercado;
- Etc.

Mas estou refletindo sobre o caso há cerca de uma hora, e não consigo identificar a razão pela qual ter transsexuais na equipe implicaria em vantagem competitiva sobre as empresas que não têm esta mão de obra.

Outro ponto que não ficou claro é que segundo a manchete a contratação de transsexuais representaria também uma vantagem competitiva para os profissionais que trabalham nas empresas contratantes. Como seria isso? Digamos que eu trabalho na empresa X, e esta contrata um transsexual. Como esta contratação agrega vantagens competitivas para mim, seu colega, pelo simples fato de o novo contratado ser transsexual? Eu ficarei mais inteligente pelo convívio? Mais produtivo? Passarei a ter ideias geniais?

São dúvidas que me surgiram quando vi a revista na banca.


Americanos perderam o instinto de sobrevivência

Há 25 anos o estado do Alabama não elegia um senador democrata. Mais ou menos o mesmo período de radicalização à esquerda dos democratas.

O Alabama é reconhecido como um estado conservador, cuja população defende os tradicionais valores americanos, que foram a base para a construção da superpotência.

Pois bem, teve eleição para senador ontem. Concorreram Roy Moore pelos republicanos, e um democrata, cujo nome não consegui memorizar. Todas as pesquisas feitas até o final de outubro apontavam que Moore daria uma surra no democrata. Eis que então apareceram mulheres para dizer que Moore teria feito assédio sexual na década de 1970.

É impossível provar se o que elas dizem é verdade ou mentira. O fato óbvio é que se verdade for elas optaram por se calar ao longo de 40 anos, enquanto Moore galgava todos os degraus da magistratura, chegando a presidente da suprema corte do Alabama. Só resolveram "revelar" o ocorrido agora, quando os progressistas precisam desesperadamente travar Trump.

E Moore foi derrotado na eleição de ontem, a diferença de votos para o vencedor foi 1%.

A maioria dos republicanos no senado era de 52 X 48. Agora passa a ser de 51 X 49. Considerando que ao menos um republicano sempre vota com os democratas, na prática ficou 50 X 50. Ou seja, adeus esperança de aprovar a agenda de reformas de Trump.

Mas o que mais me espanta é o seguinte: o eleitor do Alabama sabe exatamente o que é o partido democrata, e os males da agenda progressista. Sabe que a agenda progressista significa a própria extinção dos EUA, ao menos como o conhecemos. Pois bem, esses eleitores enviaram um recado através das urnas: preferem alguém que dê continuidade à agenda de destruição dos EUA do que alguém que pode ter tido uma conduta sexual inadequada 40 anos atrás (e que tem 40 anos de vida pública ilibada). Julgam que destruir os EUA é um mal menos grave do que tentar beijar uma moça.

Os americanos perderam o instinto de sobrevivência.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Entre o céu e o inferno

Um conhecido está transferindo o patrimônio pessoal para os Estados Unidos. Hoje esteve aqui e me falou que em outubro de 2018 enfrentaremos uma bifurcação onde os caminhos possíveis são o céu e o inferno. E ele não quer estar com os bens aqui para correr o risco de dar inferno.

Como estou ficando muito cético em relação à democracia, acreditando que é um regime que produz desastres sucessivos, penso que dará inferno.

Mas não sou tão otimista quanto o conhecido em relação aos caminhos possíveis. Para mim a opção se dará entre o inferno e o purgatório.

Funcionários públicos, governos do PT e governo Temer

Leiam esta notícia. Comento na sequência.

A ANFIP, a Fenafisco (Fisco Estadual e Distrital) e a APCF (Peritos Criminais Federais) formalizaram nesta segunda-feira (11/12) uma representação à Procuradoria Geral da República (PGR) para que sejam apuradas possíveis conexões entre a propaganda oficial do governo pela aprovação da reforma da Previdência e vídeos viralizados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) utilizando, como argumento central, informações com conotação pejorativa aos servidores públicos.
A linguagem utilizada pelas divulgações explicita a relação de apoio, o que leva à necessidade de se investigar se o governo, direta ou indiretamente, financiou com recursos públicos o MBL. As entidades consideram que é importante recomendar às autoridades federais que se abstenham de buscar apoio fora dos limites institucionais.
O que se pretende investigar é o uso de recursos públicos para financiar por via obliqua propaganda do governo e a relação existente entre o Movimento e autoridades governamentais sobre todas as formas”, define a representação. O fundamento jurídico para a investigação é o art. 37 da Constituição Federal.
Neste contexto, em que as estratégias de comunicação do governo ultrapassam os meios convencionais e passam a utilizar ações veladas, ofensivas não só a servidores públicos, mas a pessoas específicas, a ANFIP reitera a importância de as instituições promotoras da Justiça, em defesa do bem da sociedade e do Estado Democrático de Direito, atuarem de maneira ampla e profunda em consideração ao conjunto da sociedade

Comento: durante os 13.5 anos de governo petista o tesouro nacional despejou centenas de milhões de reais em blogs que faziam propaganda do governo. Nunca se ouviu nenhuma manifestação destas associações a respeito disto. Perguntas para os senhores associados: a) Se for o PT, pode? b) sua preocupação é com o gasto público ou com a possível perda da mamata?

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Reinaldo Azevedo reza pela submissão da Europa ao islamismo

Leiam trecho do seu texto:

Alternância de poder no legislativo: limitar a dois o número de mandatos consecutivos num mesmo cargo no Legislativo. Houve um tempo em que cheguei a flertar com essa ideia, até concluir que é uma estupidez. É só jogada para a torcida. O contraponto do político profissional é o político ocasional — vale dizer: o lobista. Não vai se ocupar da coisa pública, mas usar o público para garantir interesses privados. De resto, nada impede que entidades sindicais do capital e do trabalho promovam uma alternância entre os seus, de sorte que a renovação se torne mera fachada. Mais: é até provável que tIvéssemos uma Câmara e um Senado mais sensíveis ao alarido da hora. Pergunto: isso interessa à estabilidade democrática? Respondo: não! Todos os dias, nas minhas orações, peço que Deus proteja Angela Merkel, por exemplo. Essa proposta é uma bobagem.

Direitos humanos

Ontem foi o dia dos direitos humanos, criado pela ONU.

Diferentemente do politicamente correto, que foi criado com o propósito de destruir o ocidente, creio que os direitos humanos foram criados com boa intenção.

Contudo, rapidamente foram apropriados pela esquerda, de forma que direito humano atualmente significa defender tudo o que existe de pior no mundo. O próprio comitê de direitos humanos da ONU é dominado pelas piores tiranias do planeta. E a malta acha tudo muito lindo, tudo muito normal.

Tenho várias teorias a respeito do futuro, e nenhuma delas é boa. Mas uma certeza ao menos eu tenho - no futuro não existirão direitos humanos (no bom sentido). Os próprios direitos humanos, criados, creio, com boa intenção, serão uma das ferramentas utilizadas para a extinção dos direitos humanos.


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

O brasileiro e a democracia

Da república nova para cá os brasileiros elegeram democraticamente:

- A nulidade incapaz do general Eurico Gaspar Dutra;
- O Getúlio, que tanto aprontou no poder que acabou se matando no próprio palácio;
- O incendiário de recursos públicos Juscelino Kubitschek;
- Jânio que, além de alcoolismo tinha todas as evidências de distúrbio mental;
- O desconhecido Fernando Collor, alçado pela Globo à condição de salvador da pátria;
- FHC, que foi o menos pior da lista, mas que só foi eleito e reeleito por conta do Plano Real;
- Lula e Dilma, que dispensam comentários.

Como esperar que de repente saia algo de bom desse eleitorado? Ainda mais que não vivemos uma situação que possibilite o milagre de um novo Plano Real. A democracia é a certeza da nossa destruição. É a morte anunciada.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

O restaurante e a democracia

Se a pessoa for ao restaurante, abrir o menu e constatar que o estabelecimento só oferece comida podre, estragada, envenenada, insetos, etc., o que ela faz? Levanta e vai embora na hora. O restaurante fica às moscas (não só no cardápio) e encerra suas atividades.

Mas mude o cenário do restaurante para a cabine de votação, e do cardápio físico para o leque de candidatos que a democracia oferece. O que faz o cidadão neste caso? Vota num deles e acha o máximo. Se der zebra, o cidadão ainda pedirá diretas já, para poder fazer m. de novo sem ter que esperar quatro anos.

O que a democracia oferece

Quais alternativas a democracia nos oferece para a condução dos destinos da nação?

O eleitor (na média um idiota) estará livre para escolher entre comunistas, loucos, ladrões, mentirosos, canalhas, sem caráter, nulidades e inexperientes. Façam suas apostas.

A ideia de democracia só pode ter sido gerada num hospício.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Do Olavo de Carvalho

Comento na sequência.

Ademais, numa comparação com o supostamente bondoso império islâmico, não consta que o Império Romano mandasse capar os escravos que aprisionava. Os islâmicos fizeram pelo menos vinte milhões de escravos na África, e caparam oitenta por cento dos homens. A escravidão islâmica foi genocídio puro e simples. Pior, para empreendê-lo, foram eles os primeiros a inventar as teorias da inferioridade racial negra, já desde o século XI da nossa era.

Comento: algum black lives matter da vida fala em exterminar os muçulmanos? Acho que não...



A democracia é uma maluquice

A grande maioria das pessoas não atingem sucesso profissional e ou financeiro. Ficam entre o desastre e o medíocre. Não acumulam poupança, não planejam aposentadoria, acabam tendo mais filhos do que conseguem sustentar, não estudam, vivem endividadas, pensam mais na aparência do que na essência, fazem as escolhas erradas, etc. Aqui e no mundo.

E o que é a democracia?

A democracia é a presunção de que no dia da eleição todos (ou a maioria) se transformam em gênios por um dia, e conseguem fazer a melhor escolha para a condução do destino da nação.


A democracia é um câncer

Ano passado um escritor, que já faleceu, foi diagnosticado com câncer, e declarou que câncer era a melhor forma de morrer, afinal dava tempo de se preparar para a morte, de se despedir dos amigos, de fazer pela última vez as coisas que gostava. Pois bem, neste sentido a democracia é uma espécie de câncer. Já sabemos a data provável de morte do Brasil - 28/10/2018, e desta forma temos tempo para nos prepararmos, para dizer adeus aos amigos, para fazer pela última vez as coisas que gostamos.

Brasileiros que somos, damos risada da morte anunciada. Numa reunião hoje de manhã, um empresário ria enquanto me falava de um vídeo que recebeu. O vídeo mostra uma escada, onde cada mês de 2018 é um degrau. Uma moça vai descendo degrau por degrau até junho, e a partir dali cai de vez e dá de cara no chão.


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A nova do Rei

Dia desses o Rei Roberto Carlos fez show por aqui. Ingressos custavam até R$1.200.

Pensei numa nova canção para o Rei:

Eu quero apenas guardar nos bancos
Eu quero apenas ganhar um tanto
Eu só não quero ficar pobrinho
Eu quero um monte de dinheirinho

Quero levar o meu canto amigo
A qualquer amigo
Que puder pagar

Eu quero ter um milhão de amigos
E bem mais rico
Poder ficar

Eu quero apenas moeda forte
Pegar meu barco, viajar pro norte
E no caminho o que eu pescar
Quero vender quando eu lá chegar

Fobia

Semana passada Donald Trump retuitou três vídeos que mostravam muçulmanos cometendo atos de violência. Instantaneamente, a imprensa do mundo todo o tachou de islamofóbico.

Mas e quando a imprensa do mundo todo mostra vídeos e reportagens de americanos cometendo assassinatos em massa? É americanofobia?

Poder público é uma condenação para a sociedade

Segundo Ronald Reagan, a relação entre o estado e o setor produtivo pode ser definida da seguinte forma:

- Se estiver dando certo, taxe;
- Se mesmo assim continuar respirando, regule;
- Quando, então, começar a morrer, subsidie.

Em relação ao post abaixo, poderíamos definir a atuação do poder público da seguinte forma:

- Se algo estiver funcionando, mude;
- Se a mudança provocar o caos, aprofunde a mudança;
- Quando o caos total estiver implantado, lance uma campanha midiática anunciando o sucesso da mudança.

Autoridades públicas existem para transformar nossas vidas num inferno

Apesar de morar numa metrópole, o trânsito entre a minha região da cidade e o centro sempre fluiu relativamente tranquilo. E isto é um problema.

Ver algo funcionando é intolerável para uma autoridade pública. Afinal, o poder público existe para impôr o caos à sociedade, para transformar a vida de  todos num inferno.

E eis que o prefeito empossado em janeiro resolveu atacar a situação, e na semana passada mandou inverter o sentido de duas avenidas. E o caos se instalou. O trânsito, que antes andava, parou. Vir ao escritório, o que me consumia poucos minutos, passou a ser uma experiência de paulistano.

E o povo gado lá, paradinho, sem reclamar de nada.

Da janela do seu gabinete, o prefeito despótico observa com o sorriso de Nero o caos que criou. Feliz.

A cidade possui milhões de problemas. Todos permanecem intocados. Mas a autoridade concentrou seu foco em destruir o pouco que funcionava.

O poder público é uma maldição na vida dos cidadãos. Lhes toma o dinheiro e transforma suas vidas num inferno. E os socialistas, artistas, jornalistas, intelectuais, zilionários, jovens e ignorantes em geral lutam para que o estado concentre o poder total. Para transformar a vida de todos num inferno total.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Reinaldo Azevedo e a cruzada em defesa de Lula

Reinaldo retoma hoje, em seu blog, a sua cruzada em defesa de Lula. Segundo Reinaldo, Lula foi condenado em primeira instância sem provas, a 2a instância confirmará a injustiça, e Lula estará fora da eleição de 2018. Bem, eu gostaria de ter a mesma certeza do Reinaldo quanto à condenação em 2a instância...

Mas, segundo Reinaldo, Lula foi condenado sem provas. Segundo ele, a acusação não conseguiu apresentar nenhum documento que comprove que Lula é de fato o dono do apartamento do Guarujá. Nem parece o mesmo Reinaldo que na época do julgamento do mensalão era um defensor da teoria do domínio do fato. Segundo o Reinaldo da época argumentava, corrupto não passa recibo, portanto se a justiça for exigir documento comprovando tudo, nenhum corrupto nunca seria condenado. Foi assim, por exemplo, que Dirceu foi condenado - não havia documento o ligando ao mensalão, mas o mensalão não poderia ter ocorrido sem a sua concordância. A mesma coisa com Lula, o apartamento não está escriturado em seu nome, mas pelo conjunto de circunstâncias é impossível não ser ele o dono.

Não bastasse isso, Lula é comunista, e milita num partido comunista, que se capilariza por todos os territórios possíveis, objetivando a tão sonhada conquista do poder total no Brasil, e implantação do comunismo. Tão logo Lula ou outro petista tenho o poder total, pessoas como Reinaldo Azevedo e eu seremos levadas ao paredão mais próximo e executados. Portanto, só a loucura adquirida na virada de 2016 para 2017 pode justificar a cruzada azevediana.

domingo, 3 de dezembro de 2017

Revista Veja

Segundo a capa da Veja desta semana: "A Miséria Voltou: com a crise e o esvaziamento dos programas sociais, cresce o número de moradores de rua nos centros urbanos".

A cretinice desta revista não conhece limites. Quer dizer que:

1 - Os governos do PT haviam acabado com a miséria? Que coisa, eu não sabia. Também esqueceram de avisar os miseráveis que eu encontrava nas ruas em todos os cantos do país.

2 - Os milhares de moradores de rua que sempre ocuparam as ruas da cidade onde eu moro eram miragens. Os que eu via nas demais cidades, também.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Liberdade ou prisão?

Vi há pouco num site de "notícias" sobre celebridades o seguinte: fulana posta foto nua num lago da Nicarágua: "Liberdade".

Que liberdade? Que liberdade usufruem essas celebridades que são obrigadas a ficar postando em redes sociais tudo o que acontece nas suas vidas, para se manterem no noticiário e serem lembradas para papéis e para contratos de publicidade? Nenhuma. São prisioneiros. Prisioneiros infelizes que tentam transmitir através das imagens das suas vidas uma falsa felicidade permanente.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Brasileiro é um povo gado

Possivelmente o sistema previdenciário brasileiro é o maior esquema de concentração de renda já criado na história do mundo. Manter a aposentadoria nababesca de juízes, procuradores e funcionários públicos em geral exige que cada vez mais recursos sejam sugados da sociedade. Em outras palavras, exige que o povo seja cada vez mais afundado na miséria. Mas não ousem mexer com essa gente, o judiciário manda até proibir propaganda a favor da improvável reforma da previdência.

Não se enganem, o Brasil tem dono. Não se enganem, o Brasil tem castas. E no nosso sistema de castas, todo mundo que está na mídia tem um ou mais parentes com grandes aposentadorias ou pensões do setor público, além de outros parentes a caminho da aposentadoria. E essa gente usa todo o espaço à sua disposição, com carinha de anjo, para bombardear a reforma da previdência, jurando que assim o faz pra defender os pobres.

E o povo gado brasileiro, lá do fundo do abismo da sua ignorância, não nega fogo. Está sempre pronto para ser contra qualquer reforma da previdência. Está sempre pronto para ser contra qualquer mudança no sistema de privilégios que mantém e amplia a sua própria pobreza.

O Brasil, um exemplo perfeito e acabado de fracasso, é um retrato do seu povo. São 200 milhões de cabeças de gado, oceanicamente ignorantes, convictas da sua ignorância, utilizadas como massa de manobra para garantir os privilégios, o status e a boa vida daqueles com esperteza demais e caráter de menos.



quarta-feira, 29 de novembro de 2017

A extinção dos presépios

Eis que mais uma vez nos aproximamos da época de Natal, o que reforça a impressão de que o tempo passa cada vez mais rápido. Eu nem vi 2017 passar.

Com a aproximação do Natal, as ruas, os shoppings e as lojas já estão decoradas. Lá se vê papais noéis, renas, árvores, anões, "neve", estrelas, etc. E em nenhum lugar se vê um presépio.

Eu cresci montando presépios, ainda hoje tenho vários em casa. Havia presépios em todos os lugares.

O que aconteceu com os presépios? Imagino que o politicamente correto os proibiu, afinal a exposição de presépios poderia ofender outras religiões.

Façam-me o favor. Natal é a celebração do nascimento de Cristo. Se isto ofende outras religiões, extinga-se logo o Natal, ora. Mas aí não! O mercado que se dobra ao politicamente correto não abre mão dos lucros das vendas de Natal. E a vagabundagem que dita regras politicamente corretas não abre mão do feriadão.

Cambada de vagabundos.

Sociedade lixo essa em que vivemos, hipócrita demais, fraca demais, rasa, superficial, completamente desprovida de valores. Lixo. A sociedade ocidental já era.

Possibilidade de ter que votar em Alckmin me apavora

Dependendo da composição do segundo turno (por exemplo, Lula X Alckmin), terei que votar em Alckmin. E esta possibilidade me apavora.

Alckmin é o exemplo perfeito e acabado do banana, da nulidade. Um sujeito completamente desprovido de brilho, sem idéias próprias, sem nada a acrescentar.

Além disso, é um verme - entre 2011 e 2015 não poupou elogios a Dilma. Para Alckmin, "Dilma era uma grande presidenta, que trabalhava muito pelos brasileiros". Agora, com Temer, quer bancar o macho, e anunciou que se ele, Alckmin, assumir a presidência do PSDB, o partido deixará o governo.

Ou seja, para Alckmin Dilma era uma grande presidenta, enquanto Temer não presta.




sexta-feira, 24 de novembro de 2017

É o amor

Finalmente, com muito atraso, Katia Abreu foi expulsa do PMDB. Ouvi que vai para o PDT.

Katia Abreu é um fenômeno a ser estudado. Era liberal radical e defensora das boas idéias no Congresso. Então descobriu seu amor por Dilma, e se transformou em petista radical (mesmo sem nunca ter aderido formalmente ao partido). O que não entendo é por quê o amor transformou Katia em petista, mas não transformou Dilma em liberal.

Katia foi ministra do governo mais corrupto da história, e agora diz que está sendo expulsa do PMDB por não aceitar cargos, mordomias, bajulações.

Enfim, que seja feliz. Se for para o PDT poderá rasgar qualquer resto de fantasia, aderir completamente à militância comunista, sem medo de ser feliz. E viver o amor com Dilma na plenitude.



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Do Percival Puggina

Cenários como os que se desenham para 2018 fazem parte da nossa tradição presidencialista. As “virtudes” tomadas em maior conta no recrutamento dos presidenciáveis jamais influiriam na escolha de executivo para uma pequena empresa que almeje sucesso. Mas, se é para presidir a república, tendo voto, qualquer um serve.  Causa angústia saber que, periodicamente, apostamos o presente e o futuro do país num cassino eleitoral matreiro, desonesto, onde, em acréscimo a tudo mais, sequer as urnas são confiáveis.
Em menos de um ano saberemos quem dirigirá a república no quadriênio entre 2019 e 2022. Até lá, vamos para o mundo das trevas, onde tudo é incerto. A irracionalidade do sistema de governo e o vulto dos poderes em disputa, concentrados em uma única pessoa, levarão insegurança e instabilidade ao desempenho dos agentes econômicos. Dependendo do lado para onde for a carroça, cairá a Bolsa, subirá o dólar, cessarão os investimentos. Afinado com as bruxas, o parlamento só se interessará por doces (agrados e favores) e travessuras (contas ao pagador de impostos). Tudo virará moeda nas mãos de quem tocar o sino na hora do diabo.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Esquerdistas e o povo

Esquerdista quer que o povo se lasque.

Esquerdista quer que o povo se dane.

Esquerdista quer que o povo morra. Por isso, tão logo se consolidam no poder, os esquerdistas se dedicam com afinco ao extermínio do povo.  Quem não morre no paredão, morre de fome. A pilha de cadáveres produzidos pela esquerda possivelmente permitiria montar uma escada até a lua.

Esquerdista sabe que o povo, na média, é um bando de imbecis.

Só que esquerdista precisa do povo para chegar ao poder, e lá ficar. O esquerdista sabe que é justamente a imbecilidade média do povo que pavimentará o seu caminho para a conquista do poder. Afinal, se o povo não fosse imbecil, jamais votaria em esquerdista.

Por isso os esquerdistas e seus braços na imprensa, na academia e na "cultura", sempre foram/são entusiastas do sufrágio universal, da redemocratização, das "diretas já", do voto aos 16 anos. Os esquerdistas sempre souberam muito bem que cada uma dessas etapas os aproximava do pote de ouro no fim do arco-íris - a conquista e manutenção do poder.

Esquerdista despreza a democracia, afinal despreza o próprio povo que é a base da democracia. Mas esquerdista sabe que a democracia é a ponte mais curta entre a esquerda e o poder. Por isso esquerdista precisa se fingir de democrata enquanto isso lhe convém.

E o povo, com raras exceções, dificilmente frustra as expectativas dos esquerdistas.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

A reação das feministas

Leiam a notícia da Fox News. Comento na sequência.

Female North Korean soldiers are often raped, stop menstruating because of the tough environment and are forced to reuse sanitary pads during their army service, a North Korean defector who dealt with years of hellish service in the regime’s army revealed Monday.
Lee So Yeon, who defected to South Korea through China, told the BBC about the 10 years she spent in the North Korean army, a period which began when she was 17. She said she served in the army between 1992 and 2001 and was never raped herself, but many of her comrades suffered sexual abuse.
"The company commander would stay in his room at the unit after hours and rape the female soldiers under his command. This would happen over and over without an end,” Lee told the BBC.
Comento: após a revelação desta informação, ouviu-se entre as feministas ocidentais um ensurdecedor ... silêncio. Uma líder do movimento declarou que urge exterminar o homem branco ocidental heterossexual...


Do Olavo de Carvalho

Quando pela primeira vez um europeu comprou um escravo na África, já fazia um milênio que os habitantes daquele continente eram aprisionados, escravizados, vendidos e capados pelos muçulmanos, e dois milênios pelas próprias tribos e nações negras. Durante todo esse período, jamais se revoltaram em massa e não consta sequer que a idéia de abolir a escravatura tenha passado pelas cabeças, seja dos senhores, seja dos próprios escravos. Trazidos para o Ocidente, ao fim de dois ou três séculos estavam todos libertos e a noção mesma da escravidão condenada como crime hediondo. Não mostram nenhum ressentimento contra seus antigos escravizadores negros e muçulmanos, mas um ódio crescente contra os brancos ocidentais, e a idéia de exterminar por completo a raça branca começa a parecer bem razoável a muitos intelectuais e líderes negros na América.
Se não há algo de monstruosamente errado em tudo isso, não sei o que significa a palavra “errado”.

Medinho do Bolsonaro

Reportagens, capas de revista, e até o Reinaldo Azevedo (que virou outra pessoa após a cirurgia no cérebro) não param de nos "alertar" para o risco do Bolsonaro ser eleito.

A canalha da imprensa não vê risco numa eventual eleição de Lula, Ciro ou Marina. Como não vê risco em Chavez, Morales, Fidel, no bispo tarado do Paraguai, etc. A canalha da imprensa não vê risco em nenhum candidato que mantenha o Brasil no rumo da ditadura comunista.

Como não vivemos numa democracia, eu acho que a candidatura Bolsonaro nem chegará a acontecer. O STF cassará seus direitos políticos antes disto (os mesmos direitos que manteve no caso de Dilma Russef). Mas se eu estiver errado, e a candidatura vier a acontecer, terá meu voto. Será um voto contra a imprensa, contra a Globo, contra a Falha de São Paulo, contra os famosos, contra os bacanas, contra os "bem" pensantes, que insistem dioturnamente em querer mandar nas nossas vidas. Eu não aguento mais essa canalha toda.

Se eu fosse ator da Globo...

Eu já fui confundido com porteiro de prédio, com vendedor de loja, com ascensorista de elevador, entre outras. Inúmeras vezes. E qual o problema?

Simplesmente informei para as pessoas que confundiram: "eu não trabalho aqui".

Mas para um ator da Globo, ser confundido com um trabalhador é a maior das ofensas. Se o famoso em questão for negro, não haverá dúvida - é preconceito.



Preconceituosa

Leiam a notícia de O Globo. Comento na sequência.

RIO — O preconceito é uma sombra que ronda a vida de Érika Januza. No rol das discriminações sofridas pela atriz, ela lembra que já foi confudida com a empregada da casa de um ex-namorado.
— Eu toquei a campainha e estava esperando abrirem a porta para mim, quando chegou o jornaleiro e disse: ‘Já que você está aí, entrega para o seu patrão’. Olhei para ele e disse: ‘Não é meu patrão, é meu namorado, mas pode deixar que eu entrego’. E isso não tem muito tempo — conta a intérprete de Raquel, de “O outro lado do paraíso”.
Nesse episódio, uma coisa a chamou atenção: o jornaleiro era negro.


Leia mais: https://oglobo.globo.com/cultura/erika-januza-conta-que-foi-confundida-com-empregada-de-um-ex-namorado-22084401#ixzz4z4MyHJT6 
 

Comento: esse povinho "bacana" da Globo é gente tão preconceituosa e ao mesmo tempo completamente cegos para o seu preconceito. A famosinha (?) se ofendeu por ser confundida com uma trabalhadora. Ela se julga um ser tão superior ao resto da humanidade (por trabalhar na Globo?) que acha um absurdo alguém confundí-la com uma reles ... trabalhadora. Imagina, confundir a famosa com alguém que precisa ralar para ganhar o pão de cada dia. É o cúmulo da ofensa...


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O extermínio dos conservadores

Em 12 de dezembro ocorrerá uma eleição para senador no estado americano do Alabama. O republicano conservador Roy Moore lidera as pesquisas com ampla margem.

O senado é o ponto mais vulnerável à perda do controle republicano. Hoje são 52 republicanos contra 48 democratas. Uma eventual derrota de Moore levaria esta conta para 51 X 49, deixando a maioria no senado a um passo de ser conquistada pelos democratas nas eleições de 2018.

Mas Moore parece ser um candidato imbatível. Juiz aposentado, sem manchas no seu passado, fortemente conservador, num estado conservador, religioso.

Eis então que aparece uma senhora para contar ao Washignton Post (jornal ultra esquerdista de Jeff Bezos) que em 1979, quando ela tinha apenas 14 anos, foi molestada sexualmente por Moore.

Será verdade ou mentira? Impossível saber. O fato é que se verdade for ela permaneceu calada por 38 anos, enquanto Moore desenvolvia carreira pública como juiz e como presidente da suprema corte estadual. E só decidiu falar para um jornal comunista no momento em que o partido democrata precisa desesperadamente desta cadeira no senado.

Mas o ponto é que para destruir alguém considerado inconveniente pelo esquerdismo dominante basta a palavra da senhora. Os próprios líderes do partido republicano já saíram jogando as primeiras pedras, dizendo que Moore deve desistir da candidatura.

Está dada a senha para exterminar qualquer vestígio de conservadorismo na política - sempre que houver um candidato conservador viável, bastará aparecer uma mulher para "revelar" a um jornal comunista que décadas atrás ela foi molestada sexualmente.

Se o político, contudo, for de esquerda, como Bill Clinton, pilhas de denúncias de abuso sexual não provocarão a menor repercussão na imprensa.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Atores da Globo defendem invasão de propriedades

Uma pena que os sem qualquer coisa não invadem o Projac.

Mas a verdade é extremamente simples - uma sociedade que leva atores da Globo a sério não merece existir. Assim, caminhamos céleres para o fim.

Globo deveria tirar o Faustão do ar

No caso de William Waak a empresa afirmou que racismo é inaceitável.

Faustão vive fazendo piadas pejorativas com loiras. Ao vivo.

Será afastado?

Ou com loira é aceitável?

William Waak

Segundo texto de Reinaldo Azevedo, William Waak é o jornalista mais culto do Brasil. Bem, se é, é muita cultura apenas para ser um tolo, um bobalhão.

Provavelmente, na era de hipocrisia em que vivemos, a maioria dos seus colegas de profissão pensam da mesma forma. Só não são bobalhões a ponto de dizer o que ele disse em frente a uma câmera.

Mas o crime maior de Waak nem é o que ele disse. Afinal, Joaquim Barbosa foi chamado de macaco, e nada ocorreu. Paulo Henrique Amorim está condenado por racismo, e não perdeu o emprego ou a audiência. O verdadeiro crime de Waak é não ser alinhado à esquerda. Deveria, portanto, saber que é um alvo permanente, e que tudo o que disser será usado contra ele.

Vivemos uma era de caça às bruxas, tradicional de um regime comunista, em direção ao qual nos encaminhamos. Primeiro são caçados os não comunistas. Na sequência, os caçadores viram caça, por não serem considerados suficientemente comunistas. E assim por diante, sem fim. Waak é só a bola da vez. Os que o caçam hoje serão a caça de amanhã.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Vírus

O politicamente correto, arma de destruição em massa criada pelos comunistas de Frankfurt, é um vírus como o HIV - destrói o sistema imunológico da civilização.

Globo canalha

Leiam trecho de editoria de O Globo. Comento após o trecho.

"Seria lícito supor que, na última etapa do mandato no Palácio do Planalto, Temer se dedicasse integralmente ao acabamento de seu legado reformista, emoldurado na aprovação de limites aos gastos públicos, a reforma do ensino médio, as mudanças na legislação trabalhista e a renegociação da dívida dos municípios. Sem avançar na agenda de reformas estruturais na economia, principalmente na Previdência e no sistema tributário, sabem o presidente e todos os parlamentares governistas, este governo legará ao próximo algo similar a uma moldura bonita, porém vazia, na parede.
Isso porque, sem reformas, restará a realidade impositiva do aumento de tributos durante o próximo calendário eleitoral, com consequências diretas, objetivas, sobre a taxa de juros referencial (Selic).
O efeito previsível disso tende a ser um novo adiamento na retomada das atividades econômicas, depois de um ciclo de recessão sem precedentes, no qual o Produto Interno Bruto recuou 8,6% durante 11 trimestres até 2016. É dever do presidente agir, rápido e com máxima firmeza, para liderar o Congresso na aprovação dessas medidas vitais ao país. É sua responsabilidade com a História."

Comento: pois quem foi justamente o grupo de comunicação que participou da tentativa de golpe contra Michel Temer, e exterminou a chance de realização de reformas em seu mandato? Resposta: Grupo Globo. Quem é o atual queridinho da Globo, junto com os queridinhos tradicionais do PSOL e da Rede? Resposta: Rodrigo Maia. Quem atua no congresso para inviabilizar qualquer chance de ocorrer reforma na previdência? Resposta: Rodrigo Maia.






Esquerda e a civilização

Mais um dia começa, e esquerdistas já berram em carro de som aqui na proximidade do escritório. Ah, como seria bom um mundo sem esquerda. Até os tímpanos viveriam em paz.

A esquerda é uma espécie de vírus civilizacional. O processo de desenvolvimento da civilização transcorreu por milênios, até que surgiu este vírus para solapá-lo, e para nos colocar de volta na barbárie.

A má notícia é que o vírus está vencendo a batalha.

Fico imaginando onde estaria a civilização hoje, se o vírus que retarda o progresso não tivesse surgido.

domingo, 5 de novembro de 2017

De Theodore Dalrymple

"Se os salários fossem determinados por decência moral, logo deixariam de significar tanto. A economia se desmonetizaria, o instrumento impessoal que é o dinheiro seria substituído, na partilha de bens e serviços, pela influência pessoal e pelas relações políticas - precisamente o que ocorreu na União Soviética. Toda transação econômica se tornaria expressão do poder político."

O Lula de sua majestade

De Theodore Dalrymple:

"Longe de ser mais puro que puro, Tony Blair era de uma displicência complacente com a falta de decoro dos outros, contanto que lhe fossem leais ou politicamente úteis."

De Theodore Dalrymple

"Graças aos intelectuais, por exemplo, o ensino de história tornou-se um campo minado ideológico, com grupos injustiçados exigindo que ao sofrimento seus ancestrais seja dado prestígio especial."

De Theodore Dalrymple

"Adolescentes e jovens encaram qualquer negativa comum crime de lesa-majestade, como um desafio  à integridade do seu ego."

A vida no zoológico

Os progressistas roubaram o meu mundo de mim. Vivo agora num lugar que não reconheço. Como um animal trancado no zoológico.

O desejo do fracasso

Ninguém viajaria por uma companhia cujos aviões só caem.

Ninguém se internaria num hospital onde todos os pacientes morrem.

Ninguém comeria num restaurante onde todos os clientes são acometidos de infecção alimentar.

Contudo, se o fracasso for o comunismo, o regime que transforma a vida de todos num inferno, e que empobreceu até a Alemanha, aí as pessoas querem. E querem porquê são vigaristas ou imbecis lobotomizadas.

sábado, 4 de novembro de 2017

Bilionários egoístas

A maior parte dos bilionários são tão egoístas que viram até militantes socialistas, para impedir que outros tenham a chance de chegar onde eles chegaram.

Lobotomizados, os jovens - as maiores vítimas da falta de oportunidades - aplaudem as causas patrocinadas pelos bilionários egoístas.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

De Theodore Dalrymple

"Segundo o islamismo, o ocidente jamais pode satisfazer às exigências de justiça porquê é decadente, materialista, individualista, pagão e, em vez de teocrático, democrático. Somente o retorno aos princípios e práticas da Arábia do século VII solucionará, de uma só vez, todos os problemas pessoais e políticos. Em essência, essa ideia não é mais (nem menos) bizarra ou estúpida do que a ideia marxista que cativou tantos intelectuais ocidentais ao longo do século XX, a saber: a ideia de que a abolição da propriedade privada culminaria numa harmonia derradeira e duradoura entre os homens."

O novo comunista da Fátima Bernardes

O assunto do momento é o novo affair da Fátima Bernardes, a apresentadora comunista mais bem remunerada da empresa capitalista (e militante comunista) Rede Globo de Televisão.

Depois de muitos anos de casamento, a comunista Fátima deixou o comunista William Banana Bonner, e arrumou um outro comunista, 26 anos mais novo do que ela. Afinal, é comunista mas também é filha de Deus...

Vi na internet que o rapaz possui quase 30 anos, é surfista e militante político do PDT. Não vi nenhuma notícia relacionada a trabalho ou profissão. Mas vi que já está cotado para um cargo numa estatal do governo comunista de Pernambuco. Qualificação para o cargo? Ser militante comunista.

Fico imaginando como é o relacionamento dos novos pombinhos comunistas - devem passar horas dos dias discutindo as injustiças sociais do mundo, enquanto desfrutam da vida nababesca proporcionada pelo salário e pelos ganhos publicitários de Fátima. Ah, esse mundo é um lugar tão injusto...

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

De Theodore Dalrymple

"Essa me parece ser uma sugestiva metáfora de muito do que vem ocorrendo nas últimas quatro décadas, não somente na Inglaterra (embora de modo especial aqui), mas também em outras partes da  sociedade ocidental. Nós nos entediamos com aquilo que nos foi legado - com aquilo a que, por pura falta de talento, demos uma contribuição humilhamtemente parca. Ballard compreende, satirizando-o em Terroristas do Milênio, o porquê de as pessoas educadas, assombradas pela falta de sentido de sua vida, sentirem a necessidade de protestar."

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Comunismo é um fracasso absoluto

Estou de volta de 11 dias na Alemanha. Os alemães realmente são um povo diferenciado. Destruídos em duas guerras mundiais, além de uma hiper inflação sem precedentes, se recuperaram, construíram uma das economias mais ricas do mundo e um excelente país (agora ameaçado pela imigração em massa).

Pois bem, nos tempos em que vivemos jovens querem o comunismo, professores querem o comunismo, artistas querem o comunismo, intelectuais querem o comunismo, jornalistas querem o comunismo, grupos de comunicação querem o comunismo, e até bilionários querem o comunismo (embora nenhum dê o exemplo começando pela distribuição do próprio patrimônio).

Mas o comunismo conseguiu manter na miséria por quatro décadas metade da Alemanha. É uma máquina de produção de miséria sem precedentes. O que todos esses entusiastas do comunismo deveriam pensar é o seguinte: se o comunismo conseguiu deixar na miséria até a Alemanha, imaginem o que faz com países onde o povo não é alemão.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Democracia: farsa e inviável

Já concluí que a democracia é uma farsa. Por diversos fatores que não serão repetidos nesta postagem.

As presidências de Trump e Temer, contudo, trazem um novo aspecto da democracia - a sua inviabilidade prática.

Sim, pois sempre que a democracia, por descuido, escolher alguém que não seja alinhado com os interesses das oligarquias dominantes, o status quo cuidará de inviabilizar o exercício do poder pelo elemento estranho.

Trump é atacado pela imprensa 24 horas por dia, 7 dias por semana. De todas as formas. No congresso americano os pedidos de impeachment vão sendo empilhados. E a realização de sua agenda é inviabilizada legislativamente pelo próprio partido.

No caso brasileiro, o governo Temer mostra bem o que seria um eventual futuro governo não alinhado com as oligarquias: delações de todos os lados (no Brasil delator não precisa apresentar provas), assédio da imprensa (Globo à frente), perseguição da esquerda, dos artistas, dos intelectuais, dos estudantes lobotomizados, dos procuradores e dos ministros vermelhos do STF.

Então é assim: ou é capacho das oligarquias, ou não governa.

A democracia acabou.

sábado, 14 de outubro de 2017

De Luiz Philippe de Orleans e Bragança

"Como chegamos a crer que a esquerda, que propõe um estado interventor e limitador do poder empreendedor do indivíduo, é a vertente ideológica capaz de apresentar soluções para a redução da pobreza? Eis mais uma contradição brasileira alimentada dia a dia pela esquerda nas escolas, igrejas e imprensa."

Policiais

Vi um vídeo em que a atriz global Fabiana Carla relata que foi assaltada numa praia de Pernambuco, teve seu Iphone roubado, e posteriormente a polícia prendeu o bandido e lhe devolveu o aparelho.

Todos os artistas globais são progressistas da linha bandido é bonzinho, policial é fascista.

Mas quando são vítimas de um crime, os policiais correm para fazer seu trabalho e agradar aqueles que lhes chutam. Abanar o rabinho para os famosos.

Por outro lado, quando a vítima é um simples desconhecido...

Tive meu carro roubado, e fui sequestrado. Os policiais se limitaram a fazer, com muita má vontade, um BO. E o trabalho policial morreu ali. Sequer me pediram uma descrição dos três assaltantes.

Talvez para fazer a polícia funcionar seja necessário chamar os policiais de fascistas...

De Luiz Philippe de Orleans e Bragança

"Sendo assim, é necessário definir um novo termo que represente nosso sistema econômico. Um sistema definido pela divisão do poder político e econômico nas mãos de oligarquias mutuamente dependentes. Um sistema no qual essas oligarquias controlam o estado e fazem de tudo para que o estado controle a economia e a sociedade. Utilizam-se da retórica socialista como meio de preservar o controle, pois o discurso dos heróis (estado) e vilões (Capital) encanta o imaginário coletivo, criando mitologias que eliminam do diálogo os liberais, que seriam um justo contraponto a essa lógica.

Gosto do termo "oligarquismo" para definir nosso modelo econômico. Esta expressão, embora dura, resume um problema histórico da estrutura política e econômica que temos de combater e encerra o debate sobre termos um modelo capitalista ou socialista.

... temos um sistema de governo que concentra poderes e centraliza cada vez mais as decisões. Poucos se beneficiam desse arranjo, a não ser aqueles que detêm o poder, os que estão próximos ao poder ou ainda os que pretendem criar um poder totalitário no Brasil. Em seu interesse de maximizar o lucro, fomentam controles de mercado que lentamente matam a livre iniciativa e a competição, deixando somente grandes empresários oligarcas e o governo como criadores de emprego e das poucas oportunidades.

Os grandes grupos econômicos desejam competição capitalista tanto quanto os populistas desejam compartilhar poder num estado de direito. Ou seja, nunca. Por esse motivo, os interesses desses dois grupos estão quase sempre alinhados e, quando há um estado oligárquico ou populista, o resultado é um sistema controlado centralmente, nos moldes é uma economia socialista.

O povo foi sucessivamente excluído da vantagem de viver e trabalhar no Brasil pelas constituições que colocam o estado à frente de tudo."

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Senadores comunistas?

Li que um grupo de 36 senadores assinou a convocação de um plebiscito sobre a privatização da Petrobrás. E querem que "patrimônio público" não possa ser vendido sem antes "ouvir o povo".

Comento:

- Um dos 36 é José Serra. Ele foi ministro de FHC, o governo mais privatizante. Naquela época não precisava "ouvir o povo", senador?

- Outra é Katia Abreu. Esta, por amor a Dilma, passou de capitalista liberal a comunista radical. O que você tem, Dilma?

- Quer dizer para para privatizar as estatais, o "povo" precisa ser ouvido. Mas e para dilapidá-las? Não precisa ouvir o povo? E para indicar os diretores, que montarão os esquemas de corrupção, não precisa ouvir o povo? O roubo é livre, e o povo não precisa dar pitaco?

 - Esses senadores querem preservar o "patrimônio público", ou querem preservar as bocas que financiam suas campanhas, seus partidos e sua boa vida?

- Qual a diferença entre José Serra e Eduardo Suplicy?

- O povo brasileiro é tão ignorante que se o plebiscito ocorrer uns 80% votam contra a privatização.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Por quê o Brasil é um país tão atrasado e desigual?

Basicamente porquê políticos, elites e meta empresários se unem há séculos para preservar a maior parte da riqueza para eles, e manter o país no atraso, como uma espécie de playground para uso pessoal.

Esses meta empresários nada têm de capitalistas. Afinal, capitalismo envolve liberdade de mercado, oportunidades, mobilidade social, concorrência, disputas, etc. Tudo o que os meta ricos querem bem longe deles. Querem o seus status bem congelado, e protegido de ameaças. E para isto, nada melhor do que um governo interventor, regulador e que inviabiliza o empreendedorismo, matando no nascedouro aqueles poderiam vir a ser futuras ameaças aos meta ricos.

Poucas vezes na história este sistema de compadrio foi rompido. Uma delas foi durante o governo Collor. Outra parece ser o governo Temer. Por isso, tão odiado pela elite, que lava a cabeça do povão para que repitam "Fora Temer!" como autômatos.

E este esquema atingiu o seu ápice durante o governo do povo popular do PT. Se as pesquisas estiverem certas (espero que não), em 2018 o povão elege Lula para aprofundar o modelo  de concentração de riquezas nas mãos de meia dúzia.

E os americanos estão aprendendo com a gente. Lá bilionários e multimilionários já são ativistas e contribuintes do Partido Democrata. 

Eu e Lula do mesmo lado ... ou não

Há alguns anos Lula declarou num discurso em Santa Catarina que era preciso extirpar o DEM da política brasileira. Pouco depois, Gilberto Kassab (seguindo ordens?) criou o PSD e quase acabou com o DEM.

Pois bem, se o DEM comporta Rodrigo Maia, eu me alio a Lula nesta empreitada. É preciso extirpar o DEM da vida política brasileira.

Se bem que agora Rodrigo Maia é o queridinho da Globo, e a Globo é petista, então nos bastidores já devem estar todos alinhados, e Lula deve estar dizendo que o DEM é um grande partido, que honra a vida pública nacional...

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Estados Unidos

Imagens do mais novo oficial formado pela academia militar de West Point. Em alguns anos poderá estar em posição de comando.








quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Estados Unidos

Voltei dos EUA e, como sempre nas visitas em anos recentes, volto de lá com a impressão de ter visto um walking dead, um morto vivo, alguém já morto mas que ainda não foi informado do fato. Os EUA foram o que foram pela mentalidade do povo e por um governo pequeno, que não atrapalhava o empreendedorismo. Isto está morto. Falar com um americano hoje é como falar com um brasileiro, argentino ou mexicano. Fiquei feliz com a eleição de Trump. Mas acho que foi o último espasmo do condenado.

A declaração abaixo é do prefeito de Nova York, nas revista New York Magazine:


O problema é que nosso sistema legal foi elaborado para favorecer a propriedade privada. Eu acredito que a maioria de nossos cidadãos, independente de sua inclinação política, gostaria que o governo pudesse determinar onde cada prédio seria construído, que altura ele teria, quem deveria viver nele, quanto custaria o aluguel.
Eu acho que há um impulso socialista em curso, que eu escuto todo dia, em todo tipo de comunidade, que deixa claro que as pessoas gostariam que as coisas fossem planejadas de acordo com suas necessidades. E eu gostaria também. Infelizmente, o que impede que isso aconteça são os direitos de propriedade. Eles é que direcionam o desenvolvimento da cidade.

De Denis Rosenfield

Lula foi elevado pelo partido às alturas do Púlpito, exigindo de todos a crença absoluta nas suas palavras, como se nelas estivesse presente a fala de um líder religioso. Diz qualquer mentira e recebe em troca não a dúvida e a crítica, mas a devoção. Os militantes tornaram-se devotos de um líder partidário, que se apresenta como figura imaculada. Já antes, no exercício do poder, excedia-se em suas bravatas, que eram, porém, cordialmente aceitas como coisa de um retirante bem-sucedido.
Acontece que o sucesso transformou aquela simpática figura do líder sindical em um governante que considerou o poder enquanto coisa sua, a ser usada a seu bel-prazer, como se limites não existissem. A corrupção tornou-se meio de governo, inclusive sob a forma do enriquecimento pessoal e de seus familiares e amigos. Os históricos líderes comunistas, nesta esfera da corrupção, não ousaram tanto.

Bilionários progressistas

Da Fox News:


The hidden donors to a prominent anti-Trump "resistance" organization are revealed in unredacted tax forms obtained by the Washington Free Beacon.
The Center for Community Change, a Washington, D.C.-based 501 (c)(3) progressive community organizing group that does not reveal its donors, has been involved in direct action against President Donald Trump and Republicans before and after the November elections. The organization's members sit on the boards of other prominent liberal activist groups.
The Free Beacon has obtained the group's unredacted 2015 tax forms that shed light on its funders, who provide millions of dollars in assistance. The group appears to rely heavily on a few major liberal foundations, organizations, and unions.
The Center for Community Change's largest contribution was $3,000,000 from the W.K. Kellogg Foundation, which was initially created by Will Kellogg, the food manufacturer and founder of Kellogg Company. The Ford Foundation, which was first created by the founders of the Ford Motor Company, added a $2,350,000 donation. The Open Society Foundation, a foundation run by liberal billionaire mega-donor George Soros, gave $1,750,000 to the Center for Community Change.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

O atirador de Las Vegas

Stephen Paddock é, há mais de 24 horas, a pessoa mais investigada do mundo. O publicamente o que se sabe dele até agora? Nada de relevante.

O ISIS diz que ele era um convertido. Não há confirmação.
O que pensava?
O que escrevia no seu Facebook?
Qual sua motivação?
Como conseguiu comprar tantas armas e munições sem chamar atenção das autoridades?
Onde comprou as armas?
Qual o papel da sua namorada no caso?

Essa ausência de informações relevantes, até o momento, sobre alguém tão investigado me leva a uma desconfiança - a resposta a essas questões não será boa para os interesses da causa progressista. Se a resposta fosse interessante para a causa progressista, podem ter certeza de que todos os detalhes já estariam na imprensa.


Revista Veja

Recebi (gratuitamente) a Veja desta semana, e já na capa vem a informação de que a revista circula 1.200.000 exemplares por semana. Se for verdade, são mais exemplares do que no auge da revista, quando ela enfrentava sozinha a implantação da ditadura Lulo/bolivariana no Brasil.

Seria possível? Seria possível a revista efetivamente aumentar sua circulação depois de ter optado por virar um lixo impresso?

Bem, há uma diferença essencial - na época em que a Veja valia à pena, eu pagava para recebê-la. Agora já faz uns dois anos que recebo gratuitamente (E VAI DIRETO PARA O LIXO, SENHORES ANUNCIANTES DA VEJA). Como imagino que não fui o único selecionado do país para receber gratuitamente os exemplares semanais, uma boa parte dos anunciados 1.200.000 exemplares devem estar na mesma situação. Ou seja, a nova Veja virou uma espécie de Jornal Metro, o qual é distribuído gratuitamente em cruzamentos de trânsito.

Brasil já foi um dos maiores produtores de arte do mundo

Recentemente houve os casos de banalização da pornografia, da pedofilia e da zoofilia, travestidos de "arte", em Porto Alegre, São Paulo e Salvador (embora até a própria direita esteja dando bem pouca atenção ao caso de Salvador).

As pessoas que ainda possuem um mínimo resquício de valores, de certo e errado, de aceitável e inaceitável, se revoltaram e protestaram contra o ocorrido.

A esquerda (travestida de artistas, jornalistas e intelectuais) saiu em defesa da "arte", e acusando de "fascistas" os que viram qualquer coisa de errado naquilo. Compreende-se, a esquerda sequer sabe o que é arte, e não está minimamente preocupada com conteúdo artístico. Apenas uma coisa interessa à esquerda - a implementação da agenda progressista. E para tal ela se utiliza de todas as ferramentas disponíveis, até da "arte".

Entre os que, em tese ao menos, não são de esquerda, mas tentaram defender as manifestações "artísticas", estão Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo. Mainardi revela dia a dia seu verdadeiro caráter, na condução do seu site "O Antaprogressista", o qual pertence a uma empresa que vende previsões econômicas. Já Reinaldo passou por uma delicada cirurgia de cérebro nos últimos dias de 2016, e nunca mais foi o mesmo.

Ora, se pornografia é arte, o Brasil foi o maior produtor de arte do mundo na década de 1970, afinal nosso cinema só produzia as pornochanchadas.

domingo, 1 de outubro de 2017

Pesquisa eleitoral

Se as pesquisas estiverem certas, significa o seguinte - quanto mais crimes, mentiras, fraudes e farsas de Lula são reveladas, mais cresce o número de pessoas que pretendem votar nele. Nesse ritmo, se for revelado que ele come criancinhas (no sentido gastro/comunista) até eu me sentirei compelido a votar nele...

sábado, 30 de setembro de 2017

O futuro do Leblon

Como o Leblon deve ser o bairro brasileiro com mais comunistas por metro quadrado, vamos ver como poderá ser o futuro dos moradores do bairro, tomando por base a experiência do comunismo chinês, nas palavras de Frank Dikotter, no livro A Grande Fome de Mao (pág. 355):

"Quando não havia mais nada, as pessoas se voltaram para uma lama suave, chamada terra Guanyin - o nome da Deusa da Misericórdia. Uma equipe enviada por Li Jingquan ficou espantada com o que viu no condado de Liangxian, Sichuan. Era uma visão do inferno: grupos cerrados de aldeões fantasmagóricos enfileiravam-se diante de buracos profundos, os corpos murchos porejando de suor sob o clarão do sol, enquanto esperavam a vez de descer no buraco e escavar alguns punhados da lama branca como porcelana. Crianças, os quadris apontando sob a pele, desmaiavam de exaustão, seus corpos sujos pareciam esculturas de lama sombreando a terra. Mulheres velhas em andrajos queimavam amuletos de papel e se curvavam, de mãos dadas, murmurando estranhos encantamentos. Um quarto de milhão de toneladas foi escavado por mais de 10 mil pessoas. Só em uma cidade, 214 famílias de um total de 262 haviam comido lama, vários quilos por pessoa. Alguns aldeões enchiam a boca de lama enquanto cavavam. Mas a maioria adicionava água e trabalhava a terra depois de misturá-la com resíduos de cereais, flores e ervas, assando bolos de lama que tinham recheio, mesmo que representassem pouco valor nutritivo. Uma vez comida, a mistura agia como cimento, secava o estômago e absorvia toda a umidade dentro do trato intestinal. Defecar se tornava impossível. Em todas as aldeias, várias pessoas morriam dolorosamente, os intestinos bloqueados pela lama. Em Henan, como lembrou He Guanghua, muitas pessoas deram para comer uma pedra local chamada Yanglishi, que era moída e transformada em bolos. Os adultos ajudavam uns aos outros a tirar as fezes com gravetos. Em toda a China, de Sichuan, Gansun e Anhui a Henan, pessoas atormentadas pela fome se voltavam para o barro."

Comento: pelo menos o inferno do Leblon terá vista para o mar, enquanto o seu grande líder anunciará que nunca antes na história deste país se comeu tanto e tão bem.


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Fake bobagens

Como não faço parte de redes sociais, desconheço a quase totalidade das asneiras que circulam por elas.

Nesta semana, minha mãe está aqui nos EUA, e ela possui redes sociais. Recebeu de uma amiga, que é alta funcionária pública, um áudio que seria do Senador Cristovam Buarque, o qual (áudio) defende a intervenção militar no Brasil, e diz que ela ocorrerá nos próximos dias, e que os militares brasileiros estão trabalhando em conjunto com os americanos. E depois diz que os corruptos e comunistas serão presos e julgados por um tribunal militar.

Eu disse:

- Mãe, o senador Cristovam Buarque é ex-petista, e comunista desde criancinha. Jamais diria algo assim. Além disso, apesar de comunista, ele é um homem culto, e esse áudio é de alguém que desconhece os rudimentos da língua portuguesa.

Mas não adiantou nada. Eu posso dizer o que quiser, plantar bananeira pelado, não produz efeito. Se chegou pela rede social, o tal áudio já chega com o selo de verdade bíblica.

Mais justiça social

Estou nos EUA esta semana. O grande assunto aqui nesta semana são os jogadores de futebol americano se ajoelhando durante o hino, para protestar. Questionados sobre qual a razão do protesto protestando, responderam que estão protestando por mais justiça social.

Entendo, eles ganham milhões de dólares por ano só para correrem atrás de uma bola...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Brasil já é uma ditadura

O STF, contra a constituição federal, afastou Aécio Neves de suas funções novamente. O Brasil já é uma ditadura. Mas os ministros do STF que agem como ditadores não o fazem para eles mesmos exercerem o poder. São apenas soldados de uma causa, e fazem o que fazem exclusivamente para recolocar o Brasil no caminho bolivarianismo.

Se fosse uma entidade ainda submetida à lei, o STF julgaria e condenaria Aécio, e então ele perderia o mandato. Mas ... Aécio ainda nem é réu...

Mas o ponto aqui é outro - Aécio é um dos políticos que mais me decepcionou. Me entusiasmei com sua candidatura a presidente. Sofri com sua derrota (provavelmente causada pelas urnas eletrônicas companheiras). Aécio tinha tudo para botar para quebrar, mas sumiu, desapareceu. Houve as manifestações, o impeachment, e ninguém ouviu falar de Aécio. Provou ser uma nulidade, sem capacidade de liderança. Uma Dilma com bico. Há alguns meses o ex advogado do MST (Edson Fachin) também usou de arbítrio para afastá-lo de seu mandato. Quando a decisão foi revertida, uma manchete anunciou: "Aécio reassume o mandato na terça e fará discurso na tribuna do senado". Naquele momento eu pensei que ele faria um discurso para mostrar o que estava em curso no Brasil. Mas não, Aécio é Aécio, então não teve discurso nenhum. Depois que ele reassumiu o mandato a notícia foi a seguinte: "Aécio reassume o mandato e almoça com tucanos". Aécio não se faz respeitar. Aécio abaixa a cabeça para petistas desde 2015 ao menos. E agora os petistas de toga estão dando chutes na sua bunda.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Brasil, quintal do PT

Se os generais do regime militar tivessem sido corruptos, os esquerdistas garantiriam que todas as eventuais falcatruas viessem a conhecimento público após 1985. Nada apareceu.

Os esquerdistas odeiam o outrora aliado Michel Temer. Como eles estão infiltrados em todos os órgãos públicos, seria muito fácil exporem falcatruas do presidente. Mas não aparece nada. O que aparece são acusações ridículas produzidas por um sócio do PT (Joesley Batista), ou por um ex-aliado (Funaro) desesperado por falar qualquer coisa para reduzir sua pena. Então, se Temer é corrupto, no mínimo fez muito bem feito.

Então, se nada de concreto há, por quê Temer já foi alvo de duas denúncias em 16 meses de mandato, enquanto Lula não foi alvo de nenhuma em 96 meses, mesmo com o Mensalão? Simples, o Brasil é um quintal do PT. As instituições não atuam no interesse da República mas, sim, no interesse do projeto de poder do PT.

E tem um monte de gente que não é petista, gritando "fora Temer!". Acordem.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

STF petista

O STF deixou há muito de ser uma corte constitucional. A única coisa levada em consideração pela corte é o interesse petista. O STF não analisa mais se as matérias são, ou não, constitucionais. Analisa apenas se interessam, ou não, ao projeto petista de poder.
Democracia no Brasil é uma farsa.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Lula presidente em 2018?

O fracasso da sua caravana pelo nordeste diz que não, enquanto as pesquisas dizem que sim.

Eu espero que não, embora saiba que a democracia é uma bomba de destruição em massa, sempre pronta para explodir.

E Lula conta com cabos eleitorais fortíssimos. Talvez Geraldo Alckmin seja o maior deles.

sábado, 16 de setembro de 2017

Dando uma de Joselito

São Paulo - Os jornalistas Diogo Mainardi, que recentemente chegou da Itália, e Reinaldo Azevedo se reuniram a portas fechadas num hotel de luxo em São Paulo na tarde de ontem. Ao final da reunião, anunciaram para a imprensa a notícia que promete abalar o mercado de informação - Reinaldo Azevedo é o mais novo contratado de O Antagonista.

Recentemente Mainardi e Azevedo vinham se estranhando em público, com ataques de parte a parte. Mas, segundo apurou nossa reportagem, após o caso do banco da pedofilia e da zoofilia, ocorrido em Porto Alegre, ambos os jornalistas descobriram que possuem muito é comum, e decidiram deixar as diferencas de lado, e celebrar esta reaproximação voltando a trabalhar juntos.

Segundo Mainardi declarou aos jornalistas presentes no hotel: "Estamos muito felizes com a contratação do Reinaldo. Entendemos que O Antaginista é o veículo ideal para ele trabalhar. O Reinaldo terá total liberdade para escrever.". Ao final da coletiva Mainardi previu que Lula será preso amanhã.

Já Azevedo declarou que quem discordar da sua ida para O Antagonista é um xucro.

Nossa publicação deseja sucesso para o Reinaldo nesta nova empreitada.